Manutenção da Selic pode transformar Brasil no quarto país no ranking dos juros mais altos

Fonte Agência Brasil 19/11/2009 às 0h
O Brasil pode passar hoje (2) para a quarta posição no ranking mundial de juros reais mais altos, se for confirmada a projeção do mercado financeiro de manutenção do atual patamar da taxa básica de juros, a Selic (8,75% ao ano) e também por causa da queda nas expectativas para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país.

A projeção é da Uptrend Consultoria Econômica. O ranking é calculado com base nas taxas de juros nominais de 40 países, das quais se desconta a inflação projetada para os próximos 12 meses.

Segundo a consultoria, o Brasil só manterá a inédita quinta colocação no ranking se houver redução de 0,25 ponto percentual na Selic na reunião de hoje do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. Assim, o país ficaria abaixo da Malásia (4,5%), com taxa de 4,3%.

Caso não haja alteração nos juros, o ranking até o quinto lugar fica assim: China (7,2%), Tailândia (5,9%), Argentina (4,7%), Brasil (4,5%), Malásia (4,5%). Nos cinco últimos lugares, ou seja, os menores juros, estão: Inglaterra (-1,3%), Chile (-2,4%), Israel (-2,9%), Índia (-5,5%) e Venezuela (-9,0%).

Para o economista-chefe da Uptrend Consultoria Econômica, Jason Freitas Vieira, essa mudança no ranking não faz muita diferença para o Brasil, uma vez que as taxas dos primeiros colocados estão muito próximas. “Até o décimo lugar, o Brasil continua sendo um bom pagador de juros para os investidores”, disse.
Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Manutenção da Selic pode transformar Brasil no quarto país no ranking dos juros mais altos