Manifestantes são reprimidos em frente à Embaixada do Brasil

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
Milhares de manifestantes, que estavam desde ontem em frente à sede da Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, onde encontra-se o presidente deposto do país, Manuel Zelaya, foram reprimidos por militares e policiais durante esta madrugada.

Segundo informou a emissora Telesur, da Venezuela, as autoridades dispararam e lançaram bombas de gás lacrimogêneo contra os manifestantes. Em conversa com seu correspondente na capital hondurenha, a rede de TV informou que duas pessoas morreram e há vários feridos, mas tal informação ainda não foi confirmada.

O jornalista da Telesur disse também que o governo de facto, liderado por Roberto Micheletti, fechou o canal 36 de TV, por meio de corte de energia.

Na tarde de ontem, pouco depois do anúncio da chegada de Zelaya ao país, o regime de facto decretou toque de recolher até às 7h locais, e decidiu estendê-lo por mais 24 horas. Os aeroportos do país também estão fechados e os voos internacionais foram suspensos.

Segundo Zelaya informou à emissora norte-americana CNN, a sede diplomática brasileira foi alvo de ataques e há franco-atiradores nos arredores. Ele pediu também a aplicação da Carta Democrática da Organização dos Estados Americanos (OEA) para solucionar o conflito em seu país.

Ontem, em sessão extraordinária, o Conselho Permanente da OEA adotou por unanimidade uma resolução que pede que o líder hondurenho, há quase três meses afastado do poder, seja reconduzido à presidência e que ambos os lados do conflito assinem o chamado Acordo de San José, proposto em julho pelo presidente da Costa Rica, Oscar Arias.

A entidade pediu também respeito à integridade física do governante democraticamente eleito pelo povo de Honduras.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Manifestantes são reprimidos em frente à Embaixada do Brasil