Manifestação "Contra o Capitalismo e a Economia Verde e por uma Sociedade do Bem Viver" em Fortaleza

Fonte Adital/EcoAgência 30/05/2012 às 20h

Articulações de várias entidades e movimentos sociais se reúnem na próxima sexta-feira, 1° de junho, para realizar uma grande manifestação de rua Contra o Capitalismo e a Economia Verde e por uma Sociedade do Bem viver. O ato marca o início do Tribunal Popular do Capitalismo e terá concentração às 16h na Praça Clóvis Beviláqua com caminhada até a Praça do Ferreira, em Fortaleza, no Estado do Ceará.

A jornada, que acontece entre os dias 29 de maio e 10 de junho, é uma forma de antecipar o posicionamento desses grupos na Cúpula dos Povos e fazer denúncias referentes à realização da Confederação das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20: "O evento não vai conseguir responder aos desafios sociais e ainda conta com a chamada ‘economia verde´ que tem a intenção de mercantilizar os recursos da natureza”, afirma Rosa Fonsêca, integrante do Movimento Sair do Capitalismo, um dos participantes.

A causa maior dessa mobilização é a unificação social para deflagrar o sistema capitalista que rege a sociedade, o Estado e a vida da população. Segundo Rosa, aglutinar as entidades e os movimentos sociais é um dos objetivos dessa jornada, que pretende unir vozes e forças diferentes para o mesmo propósito. "Os movimentos se fragmentaram e cada grupo busca os seus direitos separadamente; dessa forma não se tem uma crítica formada sobre as causas de maior importância como o capitalismo que, na nossa visão, enfrenta uma crise diferente pelo fato de o sistema estar em colapso”, diz a representante do movimento.

A caminhada pretende levantar questões quanto aos problemas sociais provenientes do sistema capitalista e que acarretam uma série de fatores destrutivos para a população. Com o início do Tribunal Popular do Capitalismo, assuntos como o Código Florestal, Belo Monte, os grandes empreendimentos urbanos, a utilização maléfica dos agrotóxicos e a violência contra as lideranças de movimentos sociais terão visibilidade para que sejam articulados processos para o fortalecimento da luta anticapitalista.

A criação do Tribunal Popular do Capitalismo é uma intervenção que tem o propósito de dar seguimento a esse processo de união social das pessoas, independente de suas ideologias e lutas individuais, e fazer com que a luta social seja predominante para a transformação de suas vidas: "Queremos sensibilizar as pessoas e mostrar o esforço de se unificar em função de uma causa maior; é preciso se organizar para sair do capitalismo e construir uma nova sociedade”.

Para Rosa, é importante abrir um debate franco e aberto entre os cidadãos e cidadãs da sociedade civil, entre representantes de diferentes entidades e movimentos sociais e estabelecer um espaço que não seja mediado pelo dinheiro, nem pelo trabalho como única forma de adquirir capital, mas que "sejam desenvolvidas atividades onde todos possam interagir uns com os outros e iniciar uma revolução numa perspectiva mais ampla que vai além do sistema econômico”, relata.

Outro motivo relevante para a realização desse encontro é a permanente busca por justiça no assassinato do geógrafo e ambientalista Carlos Henrique da Costa Guilherme, depois de ser abordado por um indivíduo na saída de uma igreja no bairro José Walter, em Fortaleza, no dia 1° de abril deste ano, e de tantos outros casos que continuam impunes. Os representantes de movimentos sociais, a família e os amigos das vítimas pretendem levar os casos adiante até que sejam feitas rigorosas apurações sobre os crimes cometidos.

Quanto à "Sociedade do Bem Viver” referente ao lema da caminhada, Rosa afirma que representa o desejo de manter vivo o conceito do socialismo, que ainda faz parte da sociedade na qual as pessoas permanecem trabalhando e exercendo suas funções para dar seguimento ao núcleo social, e conservar a união entre os povos: "A ideia é criar um pensamento para que as pessoas sejam humanas e estabeleçam uma relação social saudável e uma relação de harmonia com a natureza e que todos possam interagir dentro desse espaço”, conclui. Entre a programação geral do evento está inserido o Dia do Meio Ambiente, entre exibição de filmes, debates e outras atividades. No dia da caminhada também haverá uma programação cultural com a apresentação de artistas locais.

Programação completa do evento

Sobre a Rio+20 e a Cúpula dos Povos

São eventos sobre o contexto socioeconômico global que serão realizados este ano de 2012 no Brasil e ocuparão simultaneamente a cidade do Rio de Janeiro. A Confederação das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 é um evento global que reúne os chefes de Estado e acontecerá de 13 a 22 de junho de 2012 em vários locais da cidade, tendo o Riocentro como perímetro das Nações Unidas. Paralelamente à Conferência da ONU, entre 15 e 23 de junho, o Aterro do Flamengo dará lugar à Cúpula dos Povos, uma mobilização organizada pela sociedade civil global para debater sobre os rumos do capitalismo e enfrentar a injustiça social ambiental e os desafios da crise sistêmica do planeta.

Adital/EcoAgência
Fonte Adital/EcoAgência 30/05/2012 ás 20h

Compartilhe

Manifestação "Contra o Capitalismo e a Economia Verde e por uma Sociedade do Bem Viver" em Fortaleza