Manaus registra a 8ª maior cheia do rio Negro desde 1902

Fonte Ascom/ANA 28/05/2013 às 20h
 
O nível do rio Negro chegou a 29,19m na capital amazonense nesta terça-feira, 28 de maio. Esta é a maior cota registrada em 2013 na estação fluviométrica da Agência Nacional de Águas (ANA) no Porto de Manaus. Assim, o rio atingiu a 8ª maior marca já medida desde 1902, quando começou o monitoramento na cidade, superando os 29,17m alcançados pelo Negro em 14 de junho de 1909. A 7ª maior cheia aconteceu em 23 de junho de 1999 (29,3m) e a maior ocorreu em 29 de maio de 2012 (29,97m).
 
 
 
No último dia 21, o Negro superou a cota de alerta para inundação estabelecida pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) para Manaus. Com isso, áreas mais baixas da capital amazonense ficam sujeitas a inundações. Segundo estimativa do CPRM, o pico da cheia do rio, que geralmente acontece em junho, pode chegar a 29,46m.
 
 
 
A estação fluviométrica de Manaus integra a Rede Hidrometeorológica Nacional sob responsabilidade da ANA. Para acompanhar o nível e a vazão do rio Negro na capital amazonense e de outras estações pelo Brasil, acesse www.ana.gov.br/telemetria ou a página da Sala de Situação da ANA.
 
 
 
Por meio de sua Sala de Situação, a ANA acompanha as tendências hidrológicas dos principais rios e reservatórios do Brasil, desenvolvendo ações de prevenção que permitem identificar possíveis ocorrências de eventos críticos – como cheias e secas – e adotar antecipadamente medidas para amenizar os impactos de tais fenômenos.
 
 
 
Em 14 de março, a Agência Nacional de Águas e o Governo do Amazonas lançaram o Centro de Monitoramento Hidrológico do Amazonas (CEMOHAM), resultado de uma parceria entre a ANA e a Secretaria de Estado de Mineração, Geodiversidade e Recursos Hídricos (SEMGRH). A Sala de Situação fica na sede da Secretaria, em Manaus, e acompanha eventos hidrológicos críticos a partir do monitoramento do nível de importantes rios amazonenses, como: Negro, Solimões, Amazonas, Madeira, Juruá, Japurá e Purus.
 
 
 
Monitoramento hidrometeorológico
 
 
A Rede Hidrometeorológica Nacional da Agência possui mais de 4,5 mil estações de monitoramento, de diferentes tipos, em todo o País. Por meio de sua Sala de Situação, em Brasília, a ANA acompanha as tendências hidrológicas dos principais rios e reservatórios nacionais e desenvolve ações de prevenção que permitem identificar possíveis eventos críticos e adotar antecipadamente medidas para mitigar seus impactos.
 
Ascom/ANA
Fonte Ascom/ANA 28/05/2013 ás 20h

Compartilhe

Manaus registra a 8ª maior cheia do rio Negro desde 1902