Mais um prédio do Minha Casa, Minha Vida em Niterói apresenta problema

Fonte Agência Brasil 17/04/2013 às 8h


Rio de Janeiro – Depois da demolição de dois prédios do Programa Minha Casa, Minha Vida, em Niterói, no Grande Rio, por causa de problemas estruturais na edificação, foi identificada no mesmo local, onde está sendo construído o Conjunto Habitacional Zilda Arns, outra unidade com falhas na estrutura devido à erosão do solo. O conjunto está sendo construído para receber desabrigados do Morro do Bumba.

Em abril de 2010, a chuva forte que atingiu a região metropolitana do Rio causou o deslizamento de parte do morro causando a morte de 50 pessoas e deixando centenas de famílias desabrigadas.

De acordo com o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro (Crea-RJ), o problema causou danos à fundação e rachaduras nas paredes. Para o engenheiro de grandes sstruturas e conselheiro do Crea-RJ, Antonio Eulalio, a erosão do terreno é proveniente das águas de um rio que nasce em uma montanha atrás dos edifícios. “A estrutura de alvenaria utilizada não é convencional, rígida, então o suporte do terreno não comporta deformações acentuadas. Aconselhei que os prédios sejam monitorados e estudados para que seja possível reforçar, mudar a fundação”, disse.

As obras de construção das unidades habitacionais estão suspensas até a divulgação de um relatório da Caixa Econômica Federal. Segundo o engenheiro, os prédios foram nivelados em cima de um aterro seco. Com as fortes chuvas que atingiram o estado em meados do mês de março, a situação foi agravada. “O programa não fez estudos preliminares para medir a capacidade de carga e vazão da bacia d´água para desviar o curso do rio”, explicou.

De acordo com Antonio Eulalio, “as rachaduras estão evoluindo paulatinamente, e a tendência é que vão se deformando ao longo do tempo. É preciso uma avaliação para que esses moradores não sejam surpreendidos até mesmo com as rupturas da estrutura. As casas são populares, mas é preciso ter qualidade”, alertou.

A Caixa informou, por meio de sua assessoria, que o laudo técnico elaborado por engenheiros da instituição, da seguradora do empreendimento e da Construtora Imperial Serviços, foi concluído e deverá ser publicado ainda este mês. O documento deverá estabelecer um novo prazo para a entrega da obra, orçada em R$ 22 milhões e prevista para junho deste ano.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 17/04/2013 ás 8h

Compartilhe

Mais um prédio do Minha Casa, Minha Vida em Niterói apresenta problema