Mais da metade dos servidores da administração direta dos estados têm curso superior ou pós-graduação

Fonte Agência Brasil 15/03/2013 às 15h

 

Rio de Janeiro - Os estados de Santa Catarina (74,3%), São Paulo (68,4%), Goiás (63,2%), do Paraná (61%), Maranhão (59,3%), de Minas Gerais (58,7%) e de Pernambuco (58%) são os que registram a maior proporção de trabalhadores na administração direta com nível superior e pós-graduação. Do total dos 2.618.369 servidores da administração direta em todos os estados, mais da metade têm nível superior ou pós-graduação (1.401.688).

Os dados foram divulgados hoje (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e fazem parte da Pesquisa de Informações Básicas Estaduais (Estadic), que analisa as gestões estaduais em 2012. Na administração indireta, 42,5% do pessoal têm nível superior ou pós- graduação, em um total de 216.908 servidores.

Segundo a pesquisadora da Coordenação de População e Indicadores Sociais e gerente da Estadic, Vânia Maria Pacheco, esses dados estão entre os destaques da pesquisa, que teve a primeira edição divulgada nesta sexta-feira. “A escolaridade chamou atenção. O quantitativo de pessoas com curso superior completo e pós-graduação é bem significativo”, disse.

Para o pesquisador Antônio Carlos Alkmin dos Reis, que também trabalhou no levantamento, o resultado é ainda mais importante se comparado ao nível de escolaridade da população brasileira. “Potencialmente isso seria um indicador de qualidade da gestão. Se o estado contrata mais de 50% de seus funcionários, na média nacional, com nível superior, significa que busca um profissional mais qualificado para exercer as suas tarefas”, disse o pesquisador.

Mas os técnicos destacaram também que esse resultado positivo não necessariamente tem relação direta com a qualidade dos serviços prestados. “O fato de ter um número maior de servidores com nível superior e pós-graduados não necessariamente implica uma melhor gestão. Como, também, o fato de ter um quantitativo maior com pessoas com nível médio não significa ter uma gestão pior”, destacou Vânia Maria Pacheco.

De acordo com a Estadic, os governos estaduais têm 3.128.923 pessoas empregadas nas administrações direta (secretarias e gabinete e assessoramento do governador) e indireta (fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista). Desse total, a maior parte trabalha na administração direta (83,7%), com 2.618.369.

Em números absolutos, o estado com o mair número de pessoas ocupadas na administração indireta é São Paulo (478.367). Em seguida, vêm Minas Gerais (299.059), o Paraná (162.402), o Rio Grande do Sul (148.945) e Pernambuco (142.574).

O levantamento dos dados para a Estadic 2013, que será a segunda edição da pesquisa, começará a ser feito em abril, de acordo com Vânia aria Pacheco. Ele disse que os técnicos precisam de pelo menos seis meses para analisar as informações.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 15/03/2013 ás 15h

Compartilhe

Mais da metade dos servidores da administração direta dos estados têm curso superior ou pós-graduação