Mais 100 yazidis são sequestradas por jihadistas

Fonte ANSA 14/08/2014 às 21h

Papa envia mensagem para quem está ajudando refugiados no país

14 Agosto, 11:28•WASHINGTON e BEIRUTE•ZGT

(ANSA) - Um dos líderes do Estado Islâmico e do grupo terrorista Isis confirmou nesta quinta-feira (14) que mais 100 mulheres e crianças yazidis foram sequestradas, informou a rede norte-americana CNN. Segundo essa fonte, os terroristas "vão levá-las à Mosul e convertê-las ao islamismo" e eles "estão matando um alto número de homens".

Na semana passada, uma deputada iraquiana informou que outras 500 mulheres e crianças da mesma etnia haviam sido sequestradas e seus pais e maridos teriam sido mortos.

Apesar da violência, os Estados Unidos descartaram um plano de evacuação em massa da comunidade yazidi. Segundo os conselheiros militares norte-americanos que estão em Sinjar, onde há o maior número de refugiados, a situação "é menos grave do que era temida", disse o porta-voz do Pentágono, almirante John Kirby.

Já a Austrália está se preparando para acolher até quatro mil refugiados em resposta à crise no Iraque. A Turquia também anunciou que irá construir um grande campo de refugiados próximo ao Iraque par receber os cristãos e os yazidis que estão em fuga.

Papa envia mensagem

Em viagem na Coreia do Sul, o Papa postou em sua conta no Twitter um agradecimento a quem está tentando ajudar os refugiados em solo iraquiano. "Agradeço a todos que estão, corajosamente, ajudando nossos irmãos e irmãs no Iraque", escreveu o Pontífice. Antes da viagem, Francisco escreveu uma carta à Organização das Nações Unidas (ONU) pedindo que a entidade fizesse uma "intervenção no Iraque", pois o país está enfrentando uma "tragédia humanitária".

O enviado de Bergoglio ao território, cardeal Fernando Filoni, enviou uma mensagem afirmando que "chegou bem" a Irbil e que já se encontrou com os bispos e as autoridades locais. Ele também informou que se encontrou com o primeiro-ministro do país. Além disso, Filoni destacou que os "iraquianos estão muito agradecidas com a proximidade do Santo Padre com a situação delas".

Filoni disse que hoje está no Curdistão entre os refugiados e que "há muita generosidade e muito empenho" na região. "Encontrei-me com o presidente da região do Curdistão, Mas'ud Barzani. Da parte de todos, muita disponibilidade, muita gratidão também pelas mensagens do Santo Padre e pela sua atenção por esses refugiados", disse à Rádio Vaticana.

Já o patriarca e presidente da Conferência Episcopal Iraquiana, Louis Sako, pediu uma intervenção armada dos Estados Unidos, da União Europeia e da Liga Árabe para "repelir de Nínive todos os milicianos jihadistas" e para "parar o lento genocídio" no norte do Iraque.(ANSA)
ANSA
Fonte ANSA 14/08/2014 ás 21h

Compartilhe

Mais 100 yazidis são sequestradas por jihadistas