Light tem lucro líquido de R$ 423,9 milhões em 2012

Fonte Ligh 06/04/2013 às 21h


A Light registrou, em 2012, lucro líquido de R$ 423,9 milhões, representando um crescimento de 24% sobre o obtido em 2011 (R$ 342 milhões). No último trimestre de 2012, este resultado foi de R$ 160 milhões, ante R$ 131,9 milhões alcançados no mesmo trimestre do ano anterior, resultando no aumento de 21,3% no comparativo entre os períodos.

Os resultados estão baseados em um melhor desempenho operacional da Light no ano passado. O consumo total de energia faturada cresceu 2,0% em relação a 2011, chegando a 23,3 mil GWh. Considerando o consumo que deixou de ser faturado pela mudança de critério no tratamento dos clientes com inadimplência de longa data, o aumento no consumo total de energia na área de concessão, em 2012, seria de 3% na comparação com 2011. Somente no quarto trimestre de 2012, o consumo foi 5,2% superior ao mesmo período do ano anterior, alcançando 5.965 GWh, influenciado pela maior temperatura e pelo aumento do consumo no segmento comercial, que cresceu 13,5%.

Já a Receita Líquida consolidada de 2012, desconsiderando a receita de construção, foi de R$ 6.943,8 milhões, 12,9% a mais do que o totalizado em 2011 (R$ 6.150,1 milhões). A Receita Líquida consolidada no último trimestre chegou a R$ 1.963,6 milhões, 24,5% acima da registrada no 4T11. Todos os segmentos de negócio da companhia apresentaram crescimento de receita, com destaque para a atividade de distribuição, com aumento de 23,1%.

No ano, o EBITDA (lucro antes de impostos, depreciações e amortização) consolidado da Light foi de R$ 1.456,2 milhões, estabelecendo aumento de 17,7% em relação a 2011. A margem EBITDA foi de 21,0%, representando um aumento de 0,9 p.p ante o ano anterior. Este resultado foi também influenciado pela maior receita líquida do ano, tendo em vista o crescimento de 2,0% no mercado total. Vale ressaltar que, se considerarmos os ativos e passivos regulatórios (CVA), não registrados na demonstração de resultados, o EBITDA ajustado teria sido de R$ 1.781,6 milhões, 34,5% maior que o valor do mesmo período anterior.

O EBITDA consolidado do trimestre foi de R$ 483,9 milhões, 49,5% superior ao alcançado no 4T11, resultado impactado pelo crescimento de 5,2% no consumo de energia. A margem EBITDA do trimestre foi de 24,6%, ante 20,5% no 4T11.

Outro destaque do ano foi o incremento na taxa de arrecadação da Light, que atingiu 98,0% do faturamento, 0,6 p.p. acima do nível observado em 2011. Somente o segmento de varejo apresentou um crescimento de 2,1 p.p. em relação ao mesmo período do ano passado. O bom desempenho das taxas de arrecadação é consequência da continuidade das ações do programa de combate à inadimplência, tais como: (i) mudança de critério no tratamento de clientes com inadimplência de longa data no primeiro semestre; (ii) campanhas de cobrança mais efetivas; (iii) aumento contínuo da instalação de medidores eletrônicos; e (iv) crescimento no volume de cortes e de negativações em 17,3% e 47,2%, respectivamente, na comparação ano contra ano.

A dívida bruta da Light, em 31 de dezembro de 2012, foi de R$ 4.666,0 milhões, uma redução de 3,1% em relação à posição de setembro de 2012. Em relação a dezembro de 2011, a dívida bruta aumentou em 12,1% em função dos investimentos e aquisições de participações em outras empresas.

Medidas de combate ao furto de energia

Devido às altas temperaturas registradas ao longo do ano de 2012, sobretudo no quarto trimestre e, principalmente, à ação implantada no início do ano relativa ao encerramento de contratos dos clientes com inadimplência de longa data, localizados em áreas onde ações tradicionais de cobrança não são efetivas (conforme Resolução Aneel 414), a Light registrou um aumento no índice de perdas não-técnicas. Elas totalizaram 6.007 GWh, representando 16,5% sobre a carga, contra 15% registrados em dezembro de 2011. Embora tenha impactado o percentual de perdas, a medida de encerramento de contratos dos clientes com inadimplência de longa data não afeta a geração de caixa da companhia.

As perdas totais da Light, incluindo as perdas técnicas, somaram 8.584 GWh ou 23,6% sobre a carga nos 12 meses encerrados em dezembro de 2012, representando um aumento de 1,9 p.p. e 0,9 p.p. em relação aos índices de dezembro de 2011 e setembro de 2012, respectivamente.

Com relação aos processos convencionais de recuperação de energia, como o de negociação dos débitos de clientes com fraude constatada, estes proporcionaram no ano de 2012 um montante de 125,2 GWh de energia recuperada. As regularizações de fraude totalizaram 53.266 clientes normalizados no ano.

A Light inaugurou, no segundo semestre de 2012, uma nova abordagem de combate a perdas e inadimplência. O programa, denominado Light Legal, consiste em selecionar pequenas áreas de 10 a 20 mil clientes, nas quais atuam microempresas voltadas exclusivamente para a melhoria dos indicadores de perdas e inadimplência. O projeto conta com o apoio do Sebrae para capacitação dos microempresários parceiros e encerrou o ano com 13 áreas em operação, abrangendo cerca de 200 mil clientes. A meta para 2013 é alcançar um total de 30 dessas áreas, representando aproximadamente 400 mil clientes. Nas primeiras áreas de atuação, que também possuem medidores eletrônicos instalados e rede blindada, a perda não-técnica, que antes apresentava uma média de 45% da carga, teve uma redução média de, aproximadamente, 20 p.p.

Investimentos

No ano de 2012, a Light realizou investimentos da ordem de R$ 796,8 milhões. O segmento de distribuição concentrou o maior volume, com inversões de R$ 694,1 milhões, representando 87,1% do total.

Dentre o realizado, se destacam os investimentos direcionados ao desenvolvimento de redes de distribuição e expansão, com o intuito de atender ao crescimento de mercado, aumentar a robustez da rede e melhorar a qualidade, no valor de R$ 338,5 milhões. Além destes, merecem destaque também o projeto de perdas de energia (blindagem de rede, sistema de medição eletrônica e regularização de fraudes), no qual foi investido o montante de R$ 199,8 milhões. Os investimentos na rede subterrânea estão incluídos nos da rede de distribuição e da melhoria da qualidade.

No segmento de geração, os investimentos somaram R$ 25,7 milhões no ano, sendo R$ 23,7 milhões referentes à modernização e manutenção do parque gerador existente.

Os investimentos em comercialização e eficiência energética passaram de R$ 2,1 milhões em 2011 para R$ 26,1 milhões em 2012. Destes, R$ 25,4 milhões são referentes ao projeto de cogeração realizado junto a uma grande indústria de bebidas.

Comunidades

O programa de melhoria da qualidade no fornecimento de energia para comunidades continua como um dos focos da Light e vem mostrando bons resultados. Desde o início, já soma 72.737 clientes atendidos com a nova rede e medidores. Em 2012, foram trocadas 12.004 geladeiras e 390.575 lâmpadas, pelo Programa Comunidade Eficiente. No tocante à rede elétrica, foram substituídos 310 km de rede por uma mais robusta e blindada, evitando assim o furto e as quedas de energia.

Por determinação da Aneel, pelo menos 0,5% da Receita Operacional Líquida deve ser aplicada em Programas de Eficiência Energética, sendo que 0,3% da Receita Líquida tem de ser voltada para unidades consumidoras em áreas de baixa renda. Os objetivos do projeto de eficiência energética incluem ações de cidadania e responsabilidade social, a oferta de fornecimento de energia com qualidade nas comunidades, o fim do consumo clandestino e a redução do nível de inadimplência. Até 2012, foram beneficiados mais de 400 mil clientes com ações de eficiência energética.

As vantagens do projeto envolvem reformas nas instalações elétricas, instalação de controlador de temperatura e recuperador de calor nos chuveiros elétricos, troca de lâmpadas (incandescentes por fluorescentes compactas), troca de geladeiras (equipamentos com alto consumo de energia por refrigeradores mais modernos e eficientes), visitas e eventos educativos sobre uso racional e seguro da energia elétrica, incluindo o descarte ecologicamente correto. Entre 2003 e 2012, o projeto doou aproximadamente 1,3 milhões de lâmpadas fluorescentes e 45 mil geladeiras contribuindo para o consumo mais eficiente de energia elétrica dos consumidores.

Nas comunidades Chapéu Mangueira, Babilônia, Santa Marta, Chácara do céu, que possuem Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), e na Cruzada São Sebastião, foram instalados, em 2012, ecopontos do projeto Light Recicla, que incentiva a troca de material reciclável – como papel, garrafas PET, entre outros – por descontos na conta de energia. Nesses ecopontos, já foram coletados 581 toneladas de material e 2 mil litros de óleo vegetal.

Mais informações podem ser obtidas no site de Relações com Investidores da Light, no link: http://ri.light.com.br

 

Ligh
Fonte Ligh 06/04/2013 ás 21h

Compartilhe

Light tem lucro líquido de R$ 423,9 milhões em 2012