Leitores idosos fazem menos esforço ao usarem tablets

Fonte MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde 15/05/2013 às 19h

Pesquisadores sugerem que os leitores mais velhos podem se beneficiar do melhor contraste em dispositivos de leitura eletrônica.

Ler textos em dispositivos digitais, tais como e-readers e tablets, exige menos esforço visual por parte dos idosos do que a leitura em papel. A informação é de uma pesquisa publicada no PLoS ONE.

Até agora, os estudos têm revelado que as pessoas preferem ler livros em papel ao invés de usarem e-readers ou tablets. Nesta nova pesquisa, os autores avaliaram as origens dessa preferência, levando em conta o esforço neural necessário para processar informações quando a leitura é feita utilizando cada um destes três meios diferentes.

“Eles descobriram que, quando questionados, adultos e idosos declararam uma forte preferência pela leitura em livros de papel. Mas, quando os movimentos dos olhos foram comparados com a aferição da atividade cerebral, durante a leitura, os idosos se saíram melhor com os leitores digitais e suas telas retroiluminadas”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores analisaram dois dados do grupo de leitores: o tempo necessário para a fixação visual e a medida da atividade cerebral (realizada por meio de um eletroencefalograma) no momento em que eram usados os diferentes dispositivos de leitura, visando identificar a quantidade de processamento cognitivo necessária para cada dispositivo.

Os pesquisadores descobriram que os leitores mais jovens, entre as idades de 21 e 34 anos, mostraram movimentos oculares e medidas de atividade cerebral semelhantes utilizando os três dispositivos de leitura.

Já os idosos, com idades entre 60 e 77 anos, levaram menos tempo para fixar os olhos no texto e apresentaram uma menor atividade cerebral quando a leitura foi realizada num tablet, em comparação com os outros meios de comunicação. O estudo conclui que este efeito é provavelmente devido a uma melhor discriminação do texto nas telas retroiluminadas.

Nenhum dos participantes do estudo demonstrou dificuldade para compreender o que tinha sido lido em qualquer um dos dispositivos, mas com base nas medidas fisiológicas avaliadas, os pesquisadores sugerem que os leitores mais velhos podem se beneficiar do melhor contraste em dispositivos de leitura eletrônica.

Adaptação às novas tecnologias

O que preocupa os oftalmologistas em relação ao uso dos dispositivos digitais de leitura são os tipos de iluminação de tela e o contraste das letras com o fundo do display.

“As queixas dos leitores de e-readers e tablets são similares as de quem utiliza o computador comum ou o notebook para ler: vista cansada, desconforto com a luminosidade da tela e dores de cabeça após a leitura”, diz o oftalmologista Eduardo de Lucca(CRM-SP 70.723), que também integra o corpo clínico do IMO.

Para amenizar os desconfortos e usufruir das novas tecnologias, algumas providências podem ser tomadas em relação aos cuidados com os olhos e com a postura corporal, durante leituras prolongadas.

“Se uma pessoa tem intolerância à iluminação específica da tela, talvez ela não consiga superar o problema apenas se adaptando aos novos hábitos de leitura. Em alguns casos, é preciso fazer o uso de óculos com lentes coloridas, que podem filtrar algumas tonalidades da luz do livro digital”, informa Eduardo de Lucca.

Para evitar a fadiga visual durante a leitura em dispositivos digitais

Para ler em dispositivos digitais, tais como e-readers e tablets, confira as dicas fornecidas pelo oftalmologista do IMO, Eduardo de Lucca:

· É preciso posicionar o livro digital abaixo da linha dos olhos e ler em ambientes com iluminação mais próxima à luz natural;

· Outra medida preventiva é uma pausa obrigatória na leitura. Recomenda-se que, a cada 50 ou 60 minutos, o usuário do livro digital dê uma parada por cinco minutos. O leitor deve dirigir seu olhar para um local distante, através de uma janela, por exemplo. Assim a musculatura ocular também poderá trabalhar, evitando a fadiga dos olhos;

· Após horas de leitura, o piscar reflexo diminui, sem que a pessoa perceba. “Quando você estiver lendo em dispositivos digitais, coloque um lembrete, como, por exemplo, ‘piscar’ em algum cantinho do monitor. Assim você estará se policiando e piscando mais vezes, evitando o ‘olho seco’. Em atividades normais, os olhos piscam, em média, 22 vezes por minuto, enquanto que, quando estão em atividade de leitura, piscam de 12 a 15 vezes por minuto”, diz o médico;

· Os usuários de lentes de contato devem lubrificar mais vezes os olhos, quando em leitura continuada, para evitar problemas de ressecamento ocular. Manter as lentes de contato limpas e higienizadas deve ser uma rotina. Quando bem indicadas e usadas de acordo com as orientações médicas, as lentes não apresentam complicações.

CONTATO:

Site: http://www.imo.com.br/home.aspx

Email: imo@imo.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/imosaudeocular

Blog: http://blogdacatarata.zip.net/

MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde
Fonte MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde 15/05/2013 ás 19h

Compartilhe

Leitores idosos fazem menos esforço ao usarem tablets