Lançado sistema de indicadores das FAPs

Fonte Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa 11/03/2013 às 17h

 

O Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap) lançou, no dia 8, em Salvador (BA), o seu sistema de indicadores. Conhecida como Sifaps, a iniciativa vem sendo desenvolvida desde 2009 e conta com a participação de parceiros como a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O ex-presidente do Confap, Mario Neto Borges, ressalta alguns dos elementos que diferenciam a ação dos sistemas tradicionais da área de CT&I. De acordo com ele, o Sifaps é um sistema de indicadores das variáveis relacionadas às modalidades de fomento das fundações de Amparo à Pesquisa. Outro destaque é a finalidade desses dados.

“Quando você faz um sistema de indicadores, em geral, é necessário mostrar os resultados que estão sendo atingidos. No nosso caso, o conjunto de dados servirá principalmente para uma articulação entre as FAPs para a tomada de decisão política para a própria vida e as próprias atividades que o Confap desenvolve”, afirma, em entrevista para a Agência Gestão CT&I de Notícias.

Borges, que é presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), ainda aponta como ganho a possibilidade de o sistema dar comparabilidade às FAPs. “Quando falávamos em dados como número de bolsas, as pessoas tinham percepções diferentes. Um citava a quantidade de bolsistas, o outro a quantidade de mensalidades e o outro a quantidade de investimento. Hoje, falamos a mesma língua. O Sifaps trouxe uma linguagem homogênea para dentro das FAPs e isso foi muito importante”, diz.

No entanto, ele lembra que o sistema ainda está longe de alcançar o seu objetivo principal que é disponibilizar todas as suas 58 variáveis não só para a administração interna, mas também para que o público externo possa conhecer a importância que as fundações têm atualmente no cenário da ciência nacional.

Parcerias

A iniciativa contou com a parceria das FAPs e da UFSC, que é responsável pela concepção do sistema. “Além disso, tivemos o apoio muito importante do CNPq, através de uma decisão do MCTI de incentivar esse tipo de indicadores porque ele também é um dos interessados em saber como andam essas variáveis”, destaca Borges.

Hoje o país conta com 26 FAPs, mas nem todas têm dados no sistema, já que quatro foram criadas depois que as discussões começaram. “A ideia é que todas participem e Roraima, que ainda não conta com a sua fundação, quando tiver também queremos que faça parte. O Sifaps só vai ter sentido na medida em que todas as FAPs coloquem os seus dados de um lado e atualizem a cada ano o sistema”, afirma.

A partir do Sifaps, foi possível apontar alguns desafios. Entre eles, o ex-presidente do Confap ressalta que os Estados ainda não fazem o investimento devido por lei nas suas constituições e leis ordinárias que deveria ser feito na área de ciência, tecnologia e inovação.

“Poucas unidades da Federação cumprem o repasse e o investimento necessário. O outro dado que observamos é que muitas FAPs, mesmo algumas que já estão com dez anos de atuação, ainda têm muita dificuldade na própria gestão dos seus dados e na capacitação do seu pessoal para fazer esse trabalho importante que deve ser feito para a ciência nacional”, destaca.

O Sifaps pode ser acessado neste
link.

Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa
Fonte Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa 11/03/2013 ás 17h

Compartilhe

Lançado sistema de indicadores das FAPs