Justiça do Egito deve definir amanhã futuro de Mubarak

Fonte Agência Brasil 01/06/2012 às 9h

Brasília – A Justiça do Egito deve divulgar amanhã (2) a sentença para o ex-presidente Hosni Mubarak, que governou o país por quase 30 anos e responde por crimes de corrupção e responsabildiade em mais de 800 mortes. Aos 84 anos, Mubarak sofre com graves problemas de saúde e deve comparecer ao tribunal, no Cairo, em uma maca, como ocorreu em ocasiões anteriores. Qualquer que seja a decisão da Justiça, ainda há possibilidade de recurso.

Em 11 de fevereiro de 2011, Mubarak renunciou depois de mais de duas semanas de protestos. Ele, os filhos Gamal e Alaa, além de colaboradores, são acusados de crimes de corrupção e desvio de verbas públicas. Mubarak está detido em um hospital militar. Além de problemas cardíacos, há informações de que ele sofre de câncer e depressão. Os filhos dele estão presos provisoriamente.

A sentença proferida contra o ex-presidente deve ser agravada pela acusação de ser um dos responsáveis pelas mortes de 800 pessoas envolvidas nas manifestações que levaram à sua renúncia. O Ministério Público quer a imposição de pena de morte contra Mubarak, alegando que há provas.

O julgamento ocorreu em 3 de agosto de 2011, seis meses após a renúncia do ex-presidente.Nas audiências anteriores relacionadas ao julgamento, parentes e amigos de pessoas mortas nos protestos acompanharam os debates. Testemunhas-chave, como o marechal Hussein Tantaui, que comanda a Junta Militar, o governo provisório do país, depôs a portas fechadas.

O veredito ocorre às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais no Egito, as primeiras depois de 60 anos de governos autoritários no país. Os candidatos que disputam o cargo são Mohammed Morsi, que representa a Irmandade Muçulmana e simpatizantes, e Ahmad Chafiq, ex-primeiro-ministro de Mubarak que conta com o apoio de parte da comunidade cristã.

*Com informações da agência pública de notícias de Portugal, Lusa

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 01/06/2012 ás 9h

Compartilhe

Justiça do Egito deve definir amanhã futuro de Mubarak