Jornalista francês, em poder das Farc há um mês, pode ser libertado quarta-feira

Fonte Agência Brasil 28/05/2012 às 9h
O comando das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) informou ontem (27) que pode libertar na quarta-feira (30) o jornalista francês Roméo Langlois, de 35 anos, sequestrado há um mês. Ele foi capturado pela guerrilha quando participava de uma operação militar contra o tráfico de drogas no Sul da Colômbia. Há informações de que Langlois está com o braço ferido.

O comunicado é assinado pela Frente 15 das Farc, ala da guerrilha que desde o início reivindica a autoria do sequestro. Langlois trabalha para a emissora de televisão France 24 e é colaborador do jornal Le Figaro.

No texto, há orientações das Farc sobre a possibilidade de libertação no dia 30, as coordenadas do local onde Langlois está e a necessidade de uma missão humanitária encarregada de resgatar o jornalista.

A missão será composta por integrantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, como ocorreu no passado, um representante do presidente francês, François Hollande, e pela ex-senadora Piedad Córdoba. O Brasil costuma participar com apoio a esse tipo de operação – fornecendo helicópteros e militares técnicos. Não há informações sobre essa alternativa.

No fim de abril, Roméo Langlois fazia uma reportagem ao lado de militares colombianos sobre o combate ao tráfico de drogas na Região Sul do país, quando a patrulha foi atacada pelos guerrilheiros.

Langlois mora há dez anos na Colômbia. De acordo com informações das autoridades, o jornalista disse à guerrilha que era civil. Mas as Farc o declararam prisioneiro de guerra, argumentando que o jornalista usava um jaleco à prova de balas e um capacete do Exército. O assunto gerou reações das autoridades francesas que cobraram providências do governo da Colômbia.

*Com informações da http://www.portugues.rfi.fr/americas/20120527-farc-prometem-libertar-jor...)">emissora pública de rádio da França, RFI

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 28/05/2012 ás 9h

Compartilhe

Jornalista francês, em poder das Farc há um mês, pode ser libertado quarta-feira