IPHAN apoia projeto de capacitação para jovens em Minas Gerais

Fonte Ascom e ICFG 28/02/2013 às 20h

O curso de qualificação em conservação do patrimônio iniciará mais uma turma no próximo dia 01 de março. A 5º edição do curso realizado pelo Instituto Cultural Flávio Gutierrez (ICFG), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), com a Fundação Dom Cabral e apoio das Prefeituras de Belo Horizonte e de Nova Lima formará mais 30 jovens em situação de vulnerabilidade social que estarão aptos a atuar como assistentes de restauração.

As aulas do curso acontecem no Laboratório de Conservação do Museu de Artes e Ofícios, na região central de Belo Horizonte. Para viabilizar a participação dos jovens e criar condições para sua permanência no projeto é oferecida bolsa auxílio mensal, além de uniforme, transporte e lanche no período das aulas. Com formação multidisciplinar, o curso oferece perspectivas profissionais bastante amplas, que vão além da área de restauração. Durante seis meses, os estudantes participam de aulas teóricas e técnicas de disciplinas como Biologia, Matemática, Química, Ética, Português, Inglês, História, Fotografia, Artes Plásticas, Modelagem, Tratamentos variados, Colagem e Reboco. Atividades externas, como visitas a cidades históricas também fazem parte do programa.

As histórias de sucesso multiplicam-se a cada ano. Tadeu Henrique Elias, 20 anos, integrante da primeira turma do Valor Social, começou a trabalhar logo após a formatura como assistente de restauração numa empresa especializada. “Foi o melhor curso que já fiz. Tudo foi maravilhoso, desde as novas técnicas até o relacionamento com os professores e funcionários”, conta o jovem que atualmente está trabalhando na restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conselheiro Lafaiete.
Thiago Daniel Melo Guimarães, 19 anos, outro aluno da primeira turma do Valor Social, hoje é aluno do CEFET-MG. O jovem passou em 3º lugar no curso de Técnico em Meio Ambiente. Igualmente de origem simples, Thiago descobriu nas aulas de química, biologia, fotografia e gestão o interesse pelas questões ambientais.

Já para Kelvin Mckolen Martins o Valor Social revelou o universo da Museologia. De origem humilde, sempre estudou em escolas públicas e nunca pensou que poderia fazer um curso superior. Hoje tem um grande motivo para comemorar: foi aprovado no vestibular de Museologia da UFMG. Tudo começou quando ingressou em 2008 na primeira turma do Valor Social. Lá descobriu o gosto por restauração, por arte, cultura e história. “Este curso mudou a minha vida”, ele conta. O menino de 21 anos, que se destacou pelo interesse e desejo de crescer, hoje já trabalhou como educador no Trilhos e Trilhas, programa educativo do Museu e hoje compoe o quadro da Museologia.

Serviço:
Início do curso: 01 de março
Horário:14h
Local: Setor educativo do Museu de Artes e Ofícios – MAO.
Informações: (31) 3248-8600

Fonte: Ascom e ICFG
 

Curso de qualificacao em conservacao do patrimonio - Flavio GuterrezO curso de qualificação em conservação do patrimônio iniciará mais uma turma no próximo dia 01 de março. A 5º edição do curso realizado pelo Instituto Cultural Flávio Gutierrez (ICFG), em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), com a Fundação Dom Cabral e apoio das Prefeituras de Belo Horizonte e de Nova Lima formará mais 30 jovens em situação de vulnerabilidade social que estarão aptos a atuar como assistentes de restauração.

As aulas do curso acontecem no Laboratório de Conservação do Museu de Artes e Ofícios, na região central de Belo Horizonte. Para viabilizar a participação dos jovens e criar condições para sua permanência no projeto é oferecida bolsa auxílio mensal, além de uniforme, transporte e lanche no período das aulas. Com formação multidisciplinar, o curso oferece perspectivas profissionais bastante amplas, que vão além da área de restauração. Durante seis meses, os estudantes participam de aulas teóricas e técnicas de disciplinas como Biologia, Matemática, Química, Ética, Português, Inglês, História, Fotografia, Artes Plásticas, Modelagem, Tratamentos variados, Colagem e Reboco. Atividades externas, como visitas a cidades históricas também fazem parte do programa.

As histórias de sucesso multiplicam-se a cada ano. Tadeu Henrique Elias, 20 anos, integrante da primeira turma do Valor Social, começou a trabalhar logo após a formatura como assistente de restauração numa empresa especializada. “Foi o melhor curso que já fiz. Tudo foi maravilhoso, desde as novas técnicas até o relacionamento com os professores e funcionários”, conta o jovem que atualmente está trabalhando na restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, em Conselheiro Lafaiete.
Thiago Daniel Melo Guimarães, 19 anos, outro aluno da primeira turma do Valor Social, hoje é aluno do CEFET-MG. O jovem passou em 3º lugar no curso de Técnico em Meio Ambiente. Igualmente de origem simples, Thiago descobriu nas aulas de química, biologia, fotografia e gestão o interesse pelas questões ambientais.

Já para Kelvin Mckolen Martins o Valor Social revelou o universo da Museologia. De origem humilde, sempre estudou em escolas públicas e nunca pensou que poderia fazer um curso superior. Hoje tem um grande motivo para comemorar: foi aprovado no vestibular de Museologia da UFMG. Tudo começou quando ingressou em 2008 na primeira turma do Valor Social. Lá descobriu o gosto por restauração, por arte, cultura e história. “Este curso mudou a minha vida”, ele conta. O menino de 21 anos, que se destacou pelo interesse e desejo de crescer, hoje já trabalhou como educador no Trilhos e Trilhas, programa educativo do Museu e hoje compoe o quadro da Museologia.

Serviço:
Início do curso: 01 de março
Horário:14h
Local: Setor educativo do Museu de Artes e Ofícios – MAO.
Informações: (31) 3248-8600

Ascom e ICFG
Fonte Ascom e ICFG 28/02/2013 ás 20h

Compartilhe

IPHAN apoia projeto de capacitação para jovens em Minas Gerais