Into implanta projeto de automação de farmácia

Fonte Blog da Saúde 05/08/2014 às 22h
Com o objetivo de proporcionar mais segurança ao paciente, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) está implantando um sistema pioneiro na rede pública de saúde: a dispensação eletrônica para fornecimento de medicamentos aos doentes internados no hospital. O projeto de automação da farmácia permite maior controle do estoque e da administração de medicamentos aos pacientes e ainda reduz gastos.

Os dispensários eletrônicos armazenam medicamentos monitorados por um controle computadorizado. Para acessar o equipamento, deve ser feita a leitura biométrica do profissional, que só consegue retirar medicamentos prescritos para o paciente internado e no horário de administração. Todo item retirado precisa de confirmação através da leitura do código de barras, garantindo a segurança do paciente. Atualmente, os equipamentos estão funcionando nas enfermarias do 8º andar (adulta e pediátrica) e no CTI. A previsão é que, até o fim do ano, todos os enfermeiros sejam treinados e os equipamentos instalados nos demais postos de enfermagem.

Responsável pelo setor, a farmacêutica Claudia Passos explica as vantagens do uso do sistema: “O mecanismo oferece maior agilidade ao processo de dispensação; facilita o acesso rápido ao medicamento, reduz perdas e ainda acarreta em economia de trabalho no dia a dia da enfermagem, sem precisar fazer um controle manual do estoque tendo mais tempo disponível para o cuidado com o paciente.”

No processo manual (dose individualizada) - que ainda é utilizado em algumas enfermarias -, o farmacêutico confere a prescrição do médico, impressa através do sistema e a equipe da farmácia separa o medicamento para ser utilizado no período de 24 horas. Os medicamentos sobem diariamente para as enfermarias e um profissional da enfermagem fica responsável por receber, conferir e armazenar a quantidade a ser usada no dia. Quando há perda, falta ou necessidade de devolução, o fluxo se inverte para retornar à farmácia.

A técnica de enfermagem Talita de Souza Marona trabalha na Enfermaria Pediátrica e aprovou o projeto. “O sistema ajuda muito e facilitou o nosso trabalho. Hoje, consigo resolver tudo aqui no andar. É mais prático e não preciso sair do posto para descer até a Farmácia”, disse.

Com a mudança, não há a necessidade do fluxo diário de abastecimento. O suprimento da máquina é feito em um intervalo maior e o próprio sistema emite os avisos de reposição de medicamentos. A farmácia trabalha com um estoque de segurança mínimo e, quando atinge 90% do consumo, o sistema emite um alerta. Para garantir a segurança do paciente, o equipamento também alerta caso o profissional assinale um medicamento errado, impedindo a abertura da porta de dispensação. É possível também bloquear automaticamente o acesso a um remédio que porventura tenha o lote recolhido ou suspenso pela Anvisa.

“Fizemos vários testes anteriormente, junto com a equipe de TI, para validarmos o processo e iniciarmos a implantação em todas as unidades assistenciais do hospital. Assim como nós, o profissional de enfermagem precisa de um tempo para se adaptar ao novo sistema e à nova rotina de trabalho. Estamos acompanhando de perto, diariamente, o funcionamento das máquinas e realizando o abastecimento sempre quando é necessário”, explica Passos.

A farmácia do Into conta com farmacêuticos, residentes em Farmácia, técnicos, estoquistas e pessoal administrativo. A equipe é responsável pelo armazenamento, controle, fracionamento, programação e dispensação dos cerca de 490 mil medicamentos consumidos por mês para o tratamento dos pacientes. Na grade de consumo, são 360 tipos diferentes de medicamentos, sendo que os antibióticos, anticoagulantes, analgésicos e antiinflamatórios são os mais utilizados.


Blog da Saúde
Fonte Blog da Saúde 05/08/2014 ás 22h

Compartilhe

Into implanta projeto de automação de farmácia