Insulza não acredita que Papa vai mediar questão das Malvinas

Fonte Ansa flash 20/03/2013 às 16h

"Apoio o diálogo, que acredito ser a única opção existente, mas duvido que seja um tema para o Papa", disse o secretário-geral da OEA

LONDRES, 20 MAR (ANSA) - O secretário-geral da Organização de Estados Americanos (OEA), o chileno José Miguel Insulza, disse não acreditar em uma possível mediação do papa Francisco entre a Argentina e a Grã-Bretanha sobre a disputa pela soberania das ilhas Malvinas, como pediu a presidente argentina Cristina Kirchner.

"Apoio o diálogo, que acredito ser a única opção existente, mas duvido que seja um tema para o Papa. Além disso, como argentino, será ainda mais difícil para que ele possa agir", disse, em entrevista à imprensa britânica, após assistir a missa inaugural de Francisco em Roma.

A presidente da Argentina pediu no começo da semana para o papa Francisco "intermediar o diálogo sobre a situação das Ilhas Malvinas" junto ao Reino Unido. Ela destacou que o papa João Paulo II mediou o conflito entre seu país e o Chile pelo Canal de Beagles, em 1978, impedindo um conflito bélico.

Insulza, no entanto, rebateu dizendo que as circunstâncias atuais são completamente diferentes, pois na ocasião existia "a iminência de uma guerra".

Ansa flash
Fonte Ansa flash 20/03/2013 ás 16h

Compartilhe

Insulza não acredita que Papa vai mediar questão das Malvinas