Indústrias caem em ranking de benefícios para inovação

Fonte Retoque Comunicação 13/04/2013 às 10h

Estudo da consultoria GAC, com base nos dados dos dois últimos relatórios do MCTI, mostra queda de R$ 300 milhões no enquadramento de projetos por meio da Lei do Bem

A Global Approach Consulting, empresa especializada na obtenção de recursos para inovação, acaba de concluir estudo que mostra um avanço das indústrias de eletroeletrônica e de software no ganho de créditos fiscais por meio da Lei do Bem, totalizando R$ 110 milhões e R$ 54 milhões, respectivamente.

Segundo a pesquisa, apenas mais um setor também conseguiu crescer nessa área: o agronegócio, com R$ 11 milhões. Todos os demais segmentos apresentaram uma queda de R$ 300 milhões no enquadramento de projetos de pesquisa e desenvolvimento por meio da renúncia de impostos e tributos. “Percebe-se, portanto, a razão do governo recentemente ter lançado programas de apoio à inovação”, afirma André Palma, diretor da GAC Brasil.

Com base em um ranking elaborado de acordo com os dois últimos relatórios do ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a GAC verificou que a maior queda bruta foi da indústria de mecânica e transporte, com R$ 148 milhões a menos obtidos de um exercício para outro. As maiores quedas proporcionais, com redução aproximada de 50%, foram dos setores de papel e celulose e alimentos. (ver ranking completo abaixo)

ÚLTIMO RELATÓRIO MCTI – LEI DO BEM

Setor Benefício fiscal

01) Mecânica e transporte R$ 553 milhões

02) Petroquímica e Química R$ 219 milhões

03) Eletroeletrônica R$ 110 milhões

04) Bens de consumo R$ 83 milhões

05) Farmacêutica R$ 76 milhões

06) Software R$ 54 milhões

07) Metalurgia R$ 38 milhões

08) Alimentos R$ 26 milhões

09) Agroindústria R$ 11 milhões

10) Papel e celulose R$ 7 milhões

Base: 2011

PENÚLTIMO RELATÓRIO MCTI – LEI DO BEM

Setor Benefício fiscal

01) Mecânica e transporte R$ 701 milhões

02) Petroquímica e Química R$ 375 milhões

03) Bens de consumo R$ 112 milhões

04) Farmacêutica R$ 84 milhões

05) Eletroeletrônica R$ 73 milhões

06) Metalurgia R$ 72 milhões

07) Software R$ 48 milhões

08) Alimentos R$ 47 milhões

09) Papel e celulose R$ 18 milhões

10) Agroindústria R$ 9 milhões

Base: 2010

Sobre a GAC

A Global Approach Consulting é uma consultoria internacional especializada no fomento da inovação para as empresas que investem em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, com uma carteira de mais de 2.500 clientes no mundo e uma presença em quatro continentes. Com sede em São Paulo, a GAC Brasil assessora as empresas inovadoras a obterem incentivos fiscais em todo o país e oferece apoio para aprimorar o desempenho global e local das empresas.

Retoque Comunicação
Fonte Retoque Comunicação 13/04/2013 ás 10h

Compartilhe

Indústrias caem em ranking de benefícios para inovação