Inadimplência do comércio sobe 6,6% em fevereiro na pesquisa CDNL

Fonte Agência Brasil 20/03/2013 às 18h

 

Brasília - A taxa de inadimplência do comércio varejista avançou 6,65% em fevereiro de 2013, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, segundo informou hoje (20) a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em conjunto com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). A pesquisa também traz boas notícias: o volume de vendas a prazo subiu 11,23% e o cancelamento de registros de inadimplência teve crescimento de 8,5%.

De acordo com o presidente da entidade, Roque Pellizzaro Junior, o aumento do atraso no pagamento de contas é consequência das medidas de estímulo ao consumo somadas à falta de planejamento do consumidor, que não se programa para comprar.

“Alta empregabilidade, crescimento salarial real, taxa de juros baixa e ampliação da oferta de crédito são fatores que favorecem o consumo. A pesquisa aponta que o consumidor brasileiro, principalmente o das classes mais emergentes, ainda não sabem lidar com a grande oferta de crédito”, comentou.

A pesquisa apontou ainda que o volume de vendas a prazo subiu 11,23% em fevereiro, quando comparado ao mesmo período do ano anterior. O índice é relativo às consultas feitas para compras a prazo e pagamentos em cheque.

Apesar do número positivo, Pellizaro destacou que a alta não pode ser considerada como recuperação do setor. “Deve ter o crescimento positivo, mas não tão bom. Todas as molas propulsoras apresentam sinais de esgotamento, não tem como empregar mais gente nem aumentar salário sem aumento de produtividade. E a inflação, que continua corroendo o salário do trabalhador, não apresenta nenhum sinal de arrefecimento", comentou.

Segundo a entidade, houve crescimento de 8,5% no cancelamento de registros de inadimplência, utilizando a mesma base de comparação. “O aumento do número de cancelamentos resulta de uma melhor condição financeira dos consumidores, em função da estabilidade no mercado de trabalho, combinada com aumento dos rendimentos e facilidades de pagamentos proporcionadas pela queda dos juros, o que possibilita que mais consumidores quitem suas pendência junto ao SPC”.

A CNDL considera inadimplência os atrasos de cerca de 30 dias em prestações ou mensalidades de compras no varejo. O levantamento considera mais de 150 milhões de consumidores cadastrados, em 800 mil postos de vendas localizados em todo o país.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 20/03/2013 ás 18h

Compartilhe

Inadimplência do comércio sobe 6,6% em fevereiro na pesquisa CDNL