ICMBio lança projeto Extremo Oriental das Américas

Fonte Comunicação ICMBio 27/05/2013 às 11h

Acervo Flona Cabedelo/ICMBioBrasília  - O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) promoveu na quinta (23) e sexta-feira (24), em João Pessoa (PB), o I Encontro de Pesquisadores do Projeto Extremo Oriental das Américas. A iniciativa é em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB).

O evento, que ocorrerá no auditório José Marques, do campus de João Pessoa do IFPB, tem como objetivo apresentar os resultados iniciais de estudos desenvolvidos por pesquisadores no âmbito do Projeto Extremo Oriental das Américas – fruto de parceria entre as duas instituições com a missão de desenvolver subprojetos técnicos e científicos cujos resultados sejam aplicados à conservação da Floresta Nacional (Flona) da Restinga de Cabedelo e seu entorno.

Outro foco do encontro é divulgar a forma como tem se dado a redução da perda de biodiversidade na região do estuário do rio Paraíba, o mais importante do estado, e a necessidade do fortalecimento da gestão ambiental dos cinco municípios paraibanos - Bayeux, Cabedelo, Lucena, Santa Rita e João Pessoa - onde se encontram outras 15 unidades de conservação (UCs), além da Flona.

Além dos acadêmicos e especialistas que irão expor seus trabalhos e discutir os próximos passos do Extremo Oriental, estarão presentes representantes da Marinha, universidades Federal (UFPB) e Estadual da Paraíba (UEPB), Companhia Docas da Paraíba e as prefeituras das cidades envolvidas, todas parceiras do projeto, além da ONG SOS Mata Atlântica, que apoia a iniciativa.

O projeto

O Projeto Extremo Oriental das Américas visa integrar a gestão das 16 UCs localizadas nos municípios de Cabedelo, Bayeux, Lucena, João Pessoa e Santa Rita, na região do litoral e Zona da Mata da Paraíba, bem como discutir a criação de novas áreas protegidas no estuário do rio Paraíba, estendendo-se ao ambiente marinho.

A iniciativa estimula a relação integrada entre ciência e políticas públicas e propõe uma estrutura administrativa e científica participativa, ao buscar criar um arranjo institucional que possibilite o alinhamento das agendas ambientais das cinco cidades envolvidas, subsidiadas pelo desenvolvimento articulado de subprojetos de pesquisa e extensão entre ICMBio, UFPB, IFPB, UEPB e Marinha do Brasil, resultando em um planejamento de desenvolvimento territorial com base conservacionista.

Uma das metas do Projeto Extremo Oriental das Américas é reduzir a perda da biodiversidade do estuário do rio Paraíba, que banha a Flona da Restinga de Cabedelo e é ameaçado pela especulação imobiliária e a expansão urbana. A região é considerada área prioritária para a conservação da biodiversidade (Portaria MMA nº 9, de 23 de janeiro de 2007), tanto em relação a habitats – banhados, estuários, recifes e restinga – como a grupos zoológicos – aves, mamíferos, peixes, elasmobrânquios (tubarões e arraias) e bentos (organismos do substrato marinho).

Comunicação ICMBio
Fonte Comunicação ICMBio 27/05/2013 ás 11h

Compartilhe

ICMBio lança projeto Extremo Oriental das Américas