Hospital do Rio implanta projeto pioneiro de acolhimento ao paciente pré-cirúrgico

Fonte Saúde em Pauta 25/02/2013 às 20h

Batizado como Ambientação Cirúrgica, a iniciativa do TotalCor acolhe o doente cardíaco antes mesmo da sua intervenção.

A ansiedade e o medo são características comuns dos pacientes que se submetem à algum tipo de cirurgia, principalmente, quando se trata das cardíacas. Neste sentido, a abordagem do médico cirurgião e de toda a sua equipe é fundamental para confortar este paciente. Porém, no dia do procedimento todas as inseguranças voltam à tona, pelo fato deste doente se deparar com um universo totalmente diferente de um consultório médico: o ambiente hospitalar.

Pensando em amenizar essa tensão no pré-operatório, o Hospital TotalCor, na zona sul, do Rio de Janeiro, implantou um programa batizado como “Ambientação Cirúrgica”, que consiste em acolher e avaliar o paciente cardíaco cirúrgico antes mesmo da sua internação, promovendo um ambiente seguro e de confiança entre o paciente, seu familiar e a equipe que irá atendê-lo durante sua permanência no hospital. Um projeto pioneiro no Estado do Rio.

Para tanto, a psicóloga hospitalar entra em contato com o paciente e agenda uma visita ao hospital, pelo menos uma semana antes da cirurgia. Neste dia, ele e seu acompanhante são recepcionados por uma equipe multidisciplinar, composta por um profissional de enfermagem, um psicólogo hospitalar, uma nutricionista e um médicoque estarão aptos para fazer uma avaliação prévia deste paciente.

Na oportunidade, são antecipados alguns exames de rotina, como o bacteriológico, que diminui os riscos de infecção hospitalar, e a coleta de sangue para verificar a tipagem sanguínea, caso haja a necessidade de transfusão durante a cirurgia. A enfermagem também afere a pressão arterial, verifica a temperatura axilar e ainda confere a frequência cardíaca, o índice de glicose e identifica se o paciente é alérgico a algum tipo de medicamento. Os medicamentos regulares de uso prévio também são anotados durante a ambientação cirúrgica com o propósito de garantir a reconciliação medicamentosa durante o período de internação.

Durante a avaliação psicológica é possível identificar sinais de depressão através do Inventário de Depressão de Beck, um teste psicológico regulamentado pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP), já que a depressão aumenta em até duas vezes o risco de mortalidade em portadores de doença arterial coronariana . Na avaliação nutricional é aferido o Índice de Massa Corpórea (IMC), a circunferência abdominal e do quadril, além de identificar as restrições alimentares deste doente.

Concluída essa etapa, o paciente e seu acompanhante são encaminhados para o Centro de Atendimento ao Familiar (CAF), onde é realizada uma apresentação em Power Point com fotos dos ambientes em que irá passar e do passo a passo de todos os procedimentos que serão realizados no pré e pós operatório, assim como seu processo de reabilitação intra e pós hospitalar.

Ao final, é entregue o Manual de Orientações Básicas de Cirurgias Cardíacas, junto com o Manual do Paciente e o guia com os seus Direitos e Deveres.

O primeiro paciente a participar do encontro, Sr. Manoel de Oliveira, aprovou a iniciativa. Com histórico de outras cirurgias cardíacas, ele disse que o programa “Ambientação Cirúrgica”do TotalCor é inovador e tem tudo pra dar certo: “a cirurgia em si é muito delicada, assim como a sua recuperação. O hospital está de parabéns pelo projeto e pela sua equipe acolhedora e cuidadosa na relação com o paciente. Para o acompanhante foi muito bom, porque ele é tão importante quanto o paciente”.

 

Saúde em Pauta
Fonte Saúde em Pauta 25/02/2013 ás 20h

Compartilhe

Hospital do Rio implanta projeto pioneiro de acolhimento ao paciente pré-cirúrgico