Há sinais de estabilidade conforme o transporte aéreo de cargas cresce

Fonte SA Comunicação 07/03/2013 às 19h

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, sigla em inglês) divulgou as estatísticas de janeiro de 2013 para a demanda de frete aéreo global. O números mostram estabilização dos mercados de frete aéreo, seguindo a tendência de crescimento verificada no fim de 2012. Comparado ao ano anterior, a demanda de frete aéreo esteve aparentemente muito forte, com crescimento de 5%. No entanto, o crescimento foi excepcional, causado pelo Ano Novo Chinês, que caiu em fevereiro deste ano, o que distorce as comparações anuais, pois muitas fábricas asiáticas fecharam e o feriado no ano passado caiu em janeiro. Comparado ao nível de Freight Tonne Kilometers (FTK) em dezembro, os volumes de frete aéreo em janeiro foram 0,9% menores. Ano após ano, a capacidade expandiu em 2,1% e o fator de carregamento global ficou em 41,9%.

“Os negócios dos fretes aéreos mostram sinais encorajadores. Mas ainda é cedo para excesso de otimismo. Enquanto a queda parou, o montante de volumes ainda se encontra abaixo dos níveis de 2010 e 2011. Fatores de carregamento estão baixos. E a economia global se mostra frágil. Nossa previsão continua a apontar modesto crescimento de demanda, de 1,4%. Mas com os fatores de carregamento fracos, os rendimentos continuarão sob grave pressão de baixa”, disse Tony Tyler, diretor-geral e CEO da IATA.

Destaques regionais

· Ásia-Pacífico – empresas da região, que representam 39,2% do total do transporte aéreo de carga, viram crescimento da demanda ano após ano de 7,1%, enquanto a capacidade caiu para 0,4%. Ajustando para os efeitos do Ano Novo Chinês, estima-se que as empresas da região tiveram crescimento de demanda de aproximadamente 3,0%. As companhias aéreas da região capturaram cerca de 60% do crescimento em volumes de FTK vistos em janeiro, comparando-se a outubro. Isso foi ocasionado pela aceleração da economia chinesa e com as economias dependentes da exportação, como Coréia do Sul e Taipei, vivendo uma demanda global mais forte.

· América do Norte – empresas aéreas da região registraram crescimento modesto de 0,6% comparado a janeiro de 2012, enquanto a capacidade foi cortada para 1,0%. Consumidores dos Estados Unidos parecem estar mais otimistas a respeito da progressão de sua economia, e as empresas áreas norte-americanas contribuíram em 15% do crescimento global do FTK de janeiro, comparado a outubro.

· Europa – empresas aéreas da região reportaram crescimento de demanda de 1,2% ano após ano, que foi a metade do crescimento de 2,4% em capacidade. A persistente fraqueza econômica na Zona do Euro, que é um grande mercado para fretes aéreos de bens de consumo, está atrapalhando o crescimento do comércio mundial e limitará o crescimento do volume de fretes aéreos em 2013.

· Oriente Médio – empresas áreas da região continuam a ser as que têm o maior e mais rápido crescimento, reportando um aumento na demanda de 16,3% ao longo de janeiro de 2012. Isso foi mais que a capacidade de expansão de 12,4%. As empresas aéreas da região continuam a se beneficiar da rota e da capacidade de expansão de economias de rápido crescimento no oeste da África e na Ásia.

· América Latina – as empresas da região foram as únicas a reportar queda na demanda, com decrescimento de 1,6% no ano anterior. Isso foi contra um crescimento de capacidade de 10,2%. Empresas aéreas latino-americanas têm adicionado capacidade de frete aéreo para aproveitar as oportunidades e um crescimento de mercado sólido em muitas economias regionais. Esse potencial também está atraindo empresas aéreas de outras partes do mundo, o que leva a concorrência muito rígida.

· África – empresas aéreas africanas reportaram um crescimento de demanda de 3,7%, enquanto a capacidade expandiu 13,9%. As empresas da região se beneficiaram de um crescimento econômico forte, particularmente no oeste da África.

Prioridades para 2013

No dia 12 de março, os líderes de transporte aéreo se reunirão em Doha, Qatar, para o World Cargo Symposium. “O desafio é o crescimento sustentável dos negócios. Ventos contrários, apresentados pela situação frágil da economia global, são fortes. Mas os governos e as empresas da cadeia de valores estão alinhadas. Há muito que pode ser feito para melhorar a competitividade da indústria de transporte aéreo global. Infraestrutura, tecnologia, ambiente, segurança e processos industriais estão entre os tópicos do simpósio”, disse Tyler.

“O transporte aéreo de carga é importante para a economia global e para a vida cotidiana. Em valores, aproximadamente um terço dos produtos comercializados internacionalmente são enviados por transporte aéreo. Empregos e oportunidades econômicas são criadas conectando produtos aos mercados. E vidas são enriquecidas pelo comércio global de produtos e serviços, que é possibilitado pela conectividade oferecida pelo transporte aéreo. Manter o sucesso do setor é interesse de todos”, afirmou Tyler.

Para mais dados, clique aqui.

 

SA Comunicação
Fonte SA Comunicação 07/03/2013 ás 19h

Compartilhe

Há sinais de estabilidade conforme o transporte aéreo de cargas cresce