Grupo violento está por trás de protesto contra mineradora, acusa Humala

Fonte Ansa flash 25/05/2012 às 19h
O presidente do Peru, Ollanta Humala, disse que por atrás do protesto na região sul-andina de Cusco contra a mineradora Xstrata Tintaya tem grupos violentos que promovem uma "reivindicação extremista".

A declaração do mandatário acontece quando a greve realizada por moradores do município de Espinar, contra a empresa, chega ao quinta dia, sem prazo para acabar.

"A última coisa que queremos é que haja perdas humanas. Há grupos violentos que estão tratando de levar adiante uma reivindicação extremista", disse Humala, em uma entrevista à emissora de TV Panamericana.

"Trata-se de dialogar. Tem uma comissão multissetorial que deve se instalar em Cusco. Há uma dívida histórica em relação a estas populações e quem as tem que resolver, mais do que as empresa, é o Estado", afirmou o presidente, quem em julho completará seu primeiro ano de governo.

Os moradores de Espinar responsabilizam a mineradora de contaminação ambiental dos dois principais rios da região e do habitat de animais.

Protestos já realizados terminaram com enfrentamentos entre manifestantes e a polícia, com um saldo de ao menos 20 feridos, entre eles o prefeito da cidade, Oscar Mollohuanca, que lidera a mobilização.

Mollohuanca condicionou a calma em Espinar ao encerramento da atividade mineira por parte da Xstrata Tintaya. A operação de exploração e processamento de cobre é realizada pela companhia desde maio de 2006.

Em 2011, a empresa produziu 74.261 toneladas de cobre concentrado e 20.969 toneladas de cátodo de cobre.
 
Ansa flash
Fonte Ansa flash 25/05/2012 ás 19h

Compartilhe

Grupo violento está por trás de protesto contra mineradora, acusa Humala