Governo peruano fará campanha internacional contra armamentismo

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O governo do Peru promoverá uma campanha internacional com o objetivo de sensibilizar os demais países da América Latina quanto à necessidade de evitar o surgimento de uma corrida armamentista, informou o chefe do Conselho de Ministros, Javier Velásquez Quesquén.

"Vamos iniciar uma cruzada junto a alguns ministros do gabinete para fazer com que a proposta do presidente Alan García, de ir a um processo de não-agressão para promover o desarmamento, leve todos os povos a fazerem um esforço para declarar guerra aos únicos inimigos da América Latina: a fome e a miséria", disse o funcionário.

Recentemente, o presidente peruano, Alan García, apresentou à União das Nações Sul-Americanas (Unasul) uma proposta para que fosse assinado um pacto de não-agressão militar. Para Lima, uma medida deste caráter poderia evitar que países da região entrem em conflito, uma vez que vários deles estão incrementando gastos com equipamentos de defesa.

Com essa ideia, o Peru deseja ressaltar também a urgência de redirecionar recursos hoje investidos em compras militares a áreas sociais.

"Vamos visitar sobretudo as autoridades na América Latina, para sensibilizá-las sobre a necessidade de contarmos com uma agenda social prioritária, que é enfrentar a fome, a pobreza, a miséria, mas sem que isto signifique renunciar a planos estratégicos militares", explicou Quesquén.

A proposta de pacto feita por García foi especialmente mal recebida no Chile, país com que o Peru mantém atualmente divergências devido ao desenho de seus limites marítimos. O caso tramita no Tribunal Internacional de Justiça, com sede em Haia.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Governo peruano fará campanha internacional contra armamentismo