Genéricos são 54% mais baratos na capital paulista, aponta pesquisa do Procon-SP

Fonte Agência Brasil 16/05/2013 às 19h

São Paulo – Os preços médios dos medicamentos genéricos são 54,58% menores do que os de referência, de acordo com pesquisa feita pela Fundação Procon-SP em drogarias e farmácias da capital paulista. Entre os genéricos, foi observada diferença de até 1.129,21%.

Enquanto em um estabelecimento, o Paracetamol (200 mg/ml, gotas 15 ml) custava R$ 0,89 em um estabalecimento, foi encontrado por R$ 10,94, o que corresponde a uma diferença de R$ 10,05.

Entre os de referência, a maior diferença ficou para o Amoxil (Amoxicilina), Glaxosmithkline (500 mg, 21cápsulas) foi encontrado por R$ 14,67. Em outro local, custava R$ 55,75, uma diferença de R$ 41,08 em valor absoluto e 280,03%.

A pesquisa foi feita em abril em 15 drogarias nas cinco regiões do município de São Paulo. Foram pesquisados 58 medicamentos, sendo 29 de referência e 29 genéricos.

No interior do estado, a maior variação de preços entre os medicamentos genéricos chegou a 1.143% entre farmácias da cidade de Bauru, para o medicamento Paracetamol. Quanto aos de referência, a maior variação também foi encontrada em Bauru, os preços do Dexason variaram até 354%.

"A média dos preços dos genéricos em comparação aos de referência nos municípios paulistas, teve a maior diferença, 57,03%, detectada em São José dos Campos. A menor diferença foi encontrada em Presidente Prudente, 44,46%", diz o Procon.

O Procon-SP recomenda que o consumidor pesquise antes de comprar. Além disso, deve evitar comprar medicamentos sem bula e sem embalagem. Outras orientações são verificar o prazo de validade, os números do lote e data de fabricação que constam na caixa, nas cartelas ou frascos.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 16/05/2013 ás 19h

Compartilhe

Genéricos são 54% mais baratos na capital paulista, aponta pesquisa do Procon-SP