Fundo Newton abre edital de apoio à pesquisa entre Brasil e Reino Unido

Fonte MCTI / Confap 09/08/2014 às 11h
O fundo de apoio à pesquisa em ciência e inovação do governo britânico, Fundo Newton (Newton Fund), abre chamada pública direcionada a promover parcerias entre países emergentes. Propostas poderão ser enviadas até o dia 17 de outubro. Confira o edital completo (em inglês).

Objetivo é desenvolver pesquisas conjuntas que estabeleçam colaborações sustentáveis entre o Reino Unido e pesquisadores brasileiros.

As propostas devem ser encaminhadas por meio de formulário que estará disponível no site Conselhos de Pesquisa do Reino Unido (RCUK, na sigla em inglês), a partir do dia 18 de agosto. Pesquisador brasileiro deverá enviar a sua proposta para o e-mail do Fundo Newton.

Requisitos

O Fundo aceitará propostas que contemplem as áreas de:

Saúde;
Transformações urbanas;
Alimento, energia, água e meio ambiente;
Resiliência da biodiversidade e dos ecossistemas;
Desenvolvimento econômico e bem-estar social

Entretanto, propostas em outras áreas serão consideradas, desde que sejam objetos de forte colaboração entre o Reino Unido e o Brasil e atendam aos critérios associados com a Assistência Oficial ao Desenvolvimento.

Os benefícios financeiros serão avaliados conforme cada proposta enviada e pode chegar a 100 mil libras esterlinas.

Saiba mais

Lançado no Brasil pelo Ministro das Finanças britânico George Osbourne em abril de 2014, o Fundo Newton de fomento à pesquisa e inovação em países emergentes vai investir £9 milhões (mais de R$ 34 milhões) por ano no Brasil durante três anos.

O investimento será revertido em projetos com parceria e intercâmbio de pesquisadores de instituições brasileiras com o Reino Unido. O montante distribuído pelo fundo globalmente em até cinco anos será de £375 milhões (cerca de R$ 1,400 bilhão).

Todos os projetos contemplados terão contrapartida de financiamento pelo governo brasileiro.


MCTI / Confap
Fonte MCTI / Confap 09/08/2014 ás 11h

Compartilhe

Fundo Newton abre edital de apoio à pesquisa entre Brasil e Reino Unido