Físico aborda o futuro das pesquisas sobre raios gama no CBPF

Fonte Ascom do CBPF 09/04/2013 às 8h

Com potencial em astrofísica, física de partículas e cosmologia, o estudo de raios gama tem a perspectiva de um forte aliado: até 2018 deve estar totalmente operacional a maior rede de observatórios do mundo para estudo de radiações de altas energias, o Cherenkov Telescope Array (CTA). Para falar sobre essa iniciativa e o futuro das pesquisas sobre radiações cósmicas, o Ciclo 2013 de Colóquios do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) recebe nesta terça-feira (9), no Rio de Janeiro, o físico Ulisses Barres de Almeida.

 

Recém-integrado ao quadro de pesquisadores do CBPF, Almeida é um dos organizadores da 33ªConferência Internacional de Raios Cósmicos (ICRC 2013). A ICRC vai discutir no Rio, em junho, a importância do Cherenkov para a compreensão de grandes mistérios da física, tais como a natureza da matéria escura.

Envolvendo um consórcio de 28 países, o CTA será formado por duas redes de telescópios – uma no Hemisfério Norte e outra no Sul, esta com cerca de 60 telescópios – e possibilitará acesso ao universo não térmico, além de um fator dez vezes de acréscimo na sensibilidade para observações de raios de alta energia. O Brasil participa com grupos de pesquisa de universidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, além do CBPF.

O palestrante é graduado em física pela Universidade de São Paulo (USP), com mestrado em astronomia pelo IAG/USP e PhD em astrofísica junto ao experimento Hess, pela Durham University. Foi pesquisador post-doc do Max-Planck-Institute for Physics de Munique, onde trabalhou na Colaboração Magic para a Astronomia de Raios Gama. Como pesquisador do CBPF, trabalha nos temas de astrofisica de altas energias e astrofisica de partículas. É membro do diretivo da Associazione Euresis, para a promoção e o desenvolvimento da cultura científica, e editor-fundador da revista cientifica online multidisciplinar Euresis Journal.

Leia mais.

 

Ascom do CBPF
Fonte Ascom do CBPF 09/04/2013 ás 8h

Compartilhe

Físico aborda o futuro das pesquisas sobre raios gama no CBPF