Fidel sabia que Kennedy seria assassinato, diz livro de ex-agente da CIA

Fonte Ansa flash 28/05/2012 às 22h

O ex-presidente de Cuba Fidel Castro sabia que o John Kennedy seria assassinado em Dallas em 22 de novembro de 1963, defendeu o ex-funcionário da CIA Brian Lattel, no livro "Castro´s Secrets" (Segredos de Castro, na tradução livre do inglês).

De acordo com Latell, que relança a tese do vínculo do então presidente cubano com a morte do então presidente norte-americano, Fidel tinha recebido a informação de seus espiões.

O ex-chefe dos analistas da CIA para a América Latina, no entanto, não defende que o ex-mandatário cubano tenha ordenado assassinato, mas sim que ele estava perfeitamente inteirado sobre o que ia acontecer.

A fonte desta informação seria um agente cubano desertado chamado Florentino Aspillaga, segundo o qual no dia do ocorrido todos os agentes que trabalhavam interceptando comunicações da CIA, na Flórida, receberam a ordem de orientar suas antenas em direção ao Texas.

No livro, Lattel também afirma que Lee Harvey Oswald, o assassino de Kennedy, matou o jovem mandatário porque sentia devoção pela revolução cubana e queria proteger Fidel, já que ele sabia, por meio de informações do serviço secreto cubano, que existiam planos de matá-lo.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 28/05/2012 ás 22h

Compartilhe

Fidel sabia que Kennedy seria assassinato, diz livro de ex-agente da CIA