Fechamento da Hidrovia Tietê-Paraná deixa parado comboio com 100 mil toneladas de carga

Fonte Agência Brasil 28/03/2013 às 7h

Brasília – O fechamento da Hidrovia Tietê-Paraná impede que 100 mil toneladas de carga, predominantemente soja, cheguem ao seu destino. A previsão é que a hidrovia seja liberada na próxima quarta-feira (3). Segundo Casemiro Tércio Carvalho, diretor do Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo, a responsabilidade do acidente é “inteiramente da ADM/Sartco", empresa responsável pela barca que colidiu com uma torre de linha de transmissão de energia elétrica.

“O seguro da embarcação é amplo, cobre qualquer tipo de prejuízo. A Sartco vai ser responsabilizada por esse problema com a concessionária de energia e com os outros embarcadores que estão na via, que podem ter prejuízos contratuais”, disse Carvalho à Agência Brasil.

Na última sexta-feira (22) a embarcação Mepla 4 desviou 350 metros da sua rota e bateu na torre, que caiu e atingiu mais cinco torres. Parte da linha de transmissão ficou solta no leito do rio, impedindo a navegação.

Segundo Carvalho, há 12 comboios, sendo seis vazios, cinco com soja e um levando madeira, aguardando a liberação da hidrovia. Eles estão transportando cerca de de 30 mil toneladas de carga. O diretor acredita que a interrupção no tráfego de barcas deve afetar o Porto de Santos. “Essa carga toda tem destinação em Pederneiras [São Paulo] faz o tombo [transferência de carga] para ferrovia que leva ao Porto de Santos”.

Os principais produtos transportados pelas embarcações que trafegam pela hidrovia são soja, milho, madeira, cana, argila e areia. De acordo com Carvalho, a Hidrovia Tietê-Paraná é o “principal corredor de exportação de soja e milho do Centro-Oeste em direção a Santos". A estimativa é que 7 milhões de toneladas de carga naveguem por esta hidrovia em 2013.

 

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 28/03/2013 ás 7h

Compartilhe

Fechamento da Hidrovia Tietê-Paraná deixa parado comboio com 100 mil toneladas de carga