FAC discute liberdade de expressão

Fonte Secretaria de Comunicação da UnB/Foto: Marcelo Jatobá 20/05/2013 às 9h

FAC discute liberdade de expressão

Jornalistas Cristina Serra, Eduardo Militão e Paulo Miranda defendem redemocratização da Comunicação.

É preciso redemocratizar a Comunicação. Foi o que concluíram os jornalistas Cristina Serra (TV Globo), Eduardo Militão (Congresso em Foco) e Paulo Miranda (Tv Comunitária) e Fernando Oliveira Paulino (UnB), em debate ocorrido na última sexta-feira (17) na Faculdade de Comunicação (FAC). Apesar de atuarem em instituições com realidades distintas, os palestrantes foram consonantes em seus discursos e pontuaram a concentração de verba publicitária e a censura aos jornalistas e aos meios de comunicação como pontos-chave para se discutir a questão da liberdade de expressão no Brasil.

"Apesar de não termos mais Lei de Imprensa, você vê jornalistas e jornais sendo perseguidos e censurados, além de decisões judiciais que limitam o trabalho dos repórteres”, lembrou Cristina Serra. Ela lembrou o caso do jornalista Lúcio Flávio Pinto, responsável pelo Jornal Pessoal, de Belém (PA). A publicação, que circula sem nenhum tipo de publicidade, sofreu severas retaliações dos meios político e empresarial paraense por meio de ações judiciais.

O jornalista Eduardo Militão contou a situação vivida no site Congresso em Foco quando, após uma matéria de denúncia sobre os supersalários do Legislativo, o veículo recebeu 50 ações judiciais em varas e juizados de Brasília. “Jornalistas continuam morrendo por causa da profissão, e ainda temos de passar por processos judiciais que têm, na fatura de nossos advogados, a condenação antecipada”, declarou.

O diretor da Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e da TV Comunitária de Brasília falou das dificuldades encontradas no trabalho de empresas de comunicação comunitárias. "Os boicotes à nossa existência vêm por meio das questões econômicas”, afirmou Paulo Miranda, que comentou também sobre a censura que recebeu um programa de esporte conduzido pelo professor Fernando Oliveira Paulino, da FAC, em que uma decisão judicial impediu a transmissão da imagem dos gols de jogos de futebol.

O evento na Faculdade de Comunicação faz parte de uma série de atividades realizadas em homenagem ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, comemorado em 3 de maio, resultado de parceria entre a FAC e as embaixadas da Grã-Bretanha e do Reino Unido. "É essencial que a gente sempre tente conciliar atividades de ensino, pesquisa e extensão, e isso significa também incluir uma reflexão sobre práticas profissionais e sobre as políticas desenvolvidas para a área de Comunicação”, explicou o professor Fernando Paulino.

REDEMOCRATIZAÇÃO - Em maio do ano passado, dezenas de entidades da sociedade civil se organizaram para lançar a campanha Para Expressar a Liberdade – uma nova lei para um novo tempo. O grupo propõe o Projeto de Lei de Iniciativa Popular das Comunicações. De acordo com o site da campanha, “uma nova lei geral de comunicações é necessária para mudar a situação de concentração e ausência de pluralidade e diversidade”. A página disponibiliza um Kit Coleta para os interessados buscarem voluntariamente as assinaturas para o projeto de lei.

Secretaria de Comunicação da UnB/Foto: Marcelo Jatobá
Fonte Secretaria de Comunicação da UnB/Foto: Marcelo Jatobá 20/05/2013 ás 9h

Compartilhe

FAC discute liberdade de expressão