Expectativa controla felicidade

Fonte Jornal da Unicamp 17/08/2014 às 19h
A sensação instantânea de felicidade que se manifesta, por exemplo, quando se ganha uma aposta tem menos ligação com o tamanho do prêmio em si do que com as expectativas geradas por interações anteriores com o mesmo tipo de jogo. “Mostramos que o bem-estar subjetivo momentâneo é explicado não pelos ganhos na tarefa, mas pela influência acumulada das expectativas de recompensa e pelos erros de predição resultantes dessas expectativas”, escrevem os autores de estudo publicado no periódico PNAS.

Os pesquisadores, vinculados ao University College London, usaram ressonância magnética funcional (fMRI) em 26 voluntários, e testaram as conclusões num grande experimento online com mais de 18 mil participantes, que realizaram suas apostas e responderam sobre seu estado de ânimo em aplicativos instalados em smart-phones.

“Como previsto”, diz o artigo na PNAS, “o ganho médio cresceu ao longo do tempo, mas a felicidade, não”. O principal fator envolvido no aumento da felicidade momentânea foi a diferença entre o ganho real e o ganho esperado. “O efeito geral das expectativas é negativo”, concluem os autores. “Expectativas positivas efetivamente reduzem o impacto emocional de resultados positivos”.



Jornal da Unicamp
Fonte Jornal da Unicamp 17/08/2014 ás 19h

Compartilhe

Expectativa controla felicidade