Evento discute metodologia ativa no processo de ensino e aprendizagem

Fonte Imprensa Unicamp 05/04/2013 às 9h

Evento discute metodologia ativa no processo de ensino e aprendizagem

O Fórum Permanente de Ensino Superior realizado na Faculdade de Tecnologia (FT) da Unicamp discutiu a chamada metodologia ativa como contribuição para o processo de ensino e aprendizagem. O evento reuniu estudiosos da Unicamp, Pontifícia Universidade Católica (PUC) e da Universidade Federal de Goiás (UFG). O Fórum foi realizado nesta quinta-feira (4) no campus da FT em Limeira (SP).

A metodologia ativa é uma concepção educativa que estimula a crítica e reflexão no processo de ensino e aprendizagem. O educador, neste caso, participa ativamente do processo, em situações que promovam aproximação crítica do aluno com a realidade. As principais metodologias ativas utilizadas atualmente são a Aprendizagem Baseada em Problemas (PBL, da sigla em inglês); a Metodologia da Problematização (MP); e a Aprendizagem Baseada em Projetos.
O docente da FT Jaime Portugheis, organizador do Fórum Permanente, ressaltou a importância que estes tipos de metodologias têm adquirido, principalmente, nos últimos anos. “Um dos objetivos do evento é a sensibilização para este tema. Há, ainda, muita resistência a estas metodologias por não serem tradicionais”, reconheceu.
Os especialistas Newton Carlos Polimeno, da Faculdade de Engenharia Biomédica da Puc-SP; Lúcia Rondelo Duarte, do Centro de Ciências Médicas e Biológicas da Puc-Sorocaba, e Gabriela Celani, da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC) da Unicamp, participaram de debate sobre o tema.
Gabriela Celani afirmou, na oportunidade, que “não faz mais sentido, como na antiguidade, que as aulas sejam apenas uma transmissão de informação”. “Quando você tem a experiência, o ganho de aprendizagem é muito maior do que simplesmente pela transmissão de informação”, justificou.
Newton Polimeno reconheceu, por sua vez, o embate entre a educação tradicional e os novos modelos. O médico e especialista da Puc-SP, afirmou, no entanto, que as experiências de Harvad e do MIT (Massachusetts Institute of Technology) comprovam “que praticamente já não existe mais aula magistral”. “Problemas do cotidiano envolvem não mais uma disciplina, mas duas, três e quatro disciplinas. Temos que passar do modo monodisciplinar para o interdisciplinar. Ao invés de usar avaliação como opressão aos alunos, temos que usá-la como diagnóstico”, pregou.
Lúcia Duarte apresentou a experiência da metodologia ativa no curso da Puc, com campus em Sorocaba (SP). A discussão sobre metodologias ativas integra evento idealizado pela Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação (EMC) da Universidade Federal de Goiás e pela Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da Puc-SP. Na Unicamp, o evento foi coordenado pela FT. Os fóruns permanentes são sistematizados pela Coordenadoria Geral da Universidade (GCU).

Imprensa Unicamp
Fonte Imprensa Unicamp 05/04/2013 ás 9h

Compartilhe

Evento discute metodologia ativa no processo de ensino e aprendizagem