Estudantes de baixa renda farão prova de certificação em inglês

Fonte Ascom - MinCTI 14/05/2012 às 22h

Estudantes de baixa renda farão prova de certificação em inglês

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, participou, hoje (14) do anúncio da parceria do governo federal com o British Council do Brasil que dará a oportunidade a dois mil estudantes de baixa renda a fazerem, gratuitamente, o exame de proficiência em língua inglesa. O acordo faz parte do programa Ciência sem Fronteiras dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e da Educação.

Os alunos selecionados para o programa como bolsistas, destinados aos países de língua inglesa, poderão passar até seis meses num processo de imersão no idioma para prestar, posteriormente, o exame de certificação. Os alunos reprovados não serão autorizados a iniciar os estudos na instituição estrangeira para a qual foram selecionados.

A parceria faz parte da campanha Great, do governo britânico, que prevê o financiamento de dois mil exames gratuitos oferecidos pelo Ielts (International English Language Testing System) para estudantes de baixa renda, além da distribuição de quatro mil livros didáticos preparatórios a para bibliotecas e 40 mil exames de nivelamento. A iniciativa pretende ainda disponibilizar na internet material preparatório gratuito para o Ielts no site www.takeielts.org

O ministro Marco Antonio Raupp elogiou a iniciativa do governo britânico de incluir o programa Ciência sem Fronteiras nas ações desenvolvidas no Brasil. “Gostaria de agradecer e falar sobre a alta apreciação por esta iniciativa do Conselho Britânico, que se ofereceu para participar deste grande projeto da presidenta Dilma Rousseff e do governo brasileiro, que cria a internacionalização da nossa forma de atuação. Isso vai ter um grande impacto na economia brasileira e esta oferta do conselho é fundamental para nós. Com certeza mais de 30 mil bolsas das 100 mil serão concentradas em países da língua inglesa, e isso é fundamental para um bom aproveitamento dos estudantes”.

O British Council é uma organização internacional do Reino Unido voltada para criar oportunidades educacionais e ampliar as relações culturais. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, comentou sobre os benefícios desta parceria. “Fizemos o primeiro piloto com alunos no dia 27 de abril. No total, 64% registraram uma melhora no desempenho desde o último exame que haviam sido submetidos”.

Para que o candidato seja considerado de baixa renda, ele deve ser enquadrar em requisitos como ser bolsista do Programa Universidade para Todos (ProUni); receber benefício do Bolsa-Família; participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou possuir renda familiar inferior a seis salários mínimos. A avaliação da situação econômica e acadêmica de cada candidato deverá ser feita pelo coordenador do Ciência sem Fronteiras que atua na instituição de ensino superior do aluno interessado. O mesmo será responsável pelo contato com o British Council.

Mercadante comentou ainda que os resultados do segundo edital do programa, que inclui Austrália, Canadá, Holanda, Bélgica, Coréia do Sul, Espanha e Portugal devem ser anunciados no início de junho, assim como o terceiro edital. Outra etapa que deve avançar ainda neste ano é a parceria com o setor privado. Segundo o ministro da Educação, o setor é responsável por 26 mil bolsas e a expectativa é que as negociações assegurem 25% do número total de bolsas dentro da meta prevista no programa.

Ascom - MinCTI
Fonte Ascom - MinCTI 14/05/2012 ás 22h

Compartilhe

Estudantes de baixa renda farão prova de certificação em inglês