Esporte, dança e diálogo instruem alunos órfãos do Programa Segundo Tempo

Fonte Ascom – Ministério do Esporte 07/03/2013 às 8h


Em Anápolis, Goiás, o Programa Segundo Tempo (PST) supera conflitos entre alunos do núcleo Belizária Correia, instalado na faculdade UniEvangélica, no bairro Setor Universitário. Dos cem jovens contemplados, 40% são órfãos ou acompanhados pelo Ministério Público. Brigas, palavrões e até escapadas de alunos, registradas no início do programa no ano passado, tumultuaram a vida de coordenadores e monitores. Para superar problemas disciplinares, foi adotada a estratégia de adoção do esporte, carinho, diálogo e orientação ao lidar com a garotada.

O trabalho em equipe e a aplicação de jogos cooperativos como incentivo à valorização de colegas funcionaram. Mas uma regra foi determinante para o início da mudança. “Quem bater, brigar ou xingar não joga”, lembra a coordenadora de núcleo Lorena Lopes.

A educadora citou como exemplo de transformação, o aluno André*, 12 anos. Filho de pai alcoólatra e indicado pelo conselho tutelar para participar do Segundo Tempo, o menino, que no começo do programa apresentou um perfil agressivo e sem limites, mudou o comportamento e a postura diante dos problemas. “Está obediente e quando esbarra em algum colega no jogo ele reconhece o erro, pede desculpas para o colega e para o professor.

Outro fato marcante identificado pela professora Lorena aconteceu durante um jogo de basquete. Após colidir na quadra com Maria*, de 9 anos, uma outra aluna perguntou se sua mãe não teria lhe dado educação. A garota questionada começou a chorar e em seguida foi abraçada por quatro garotas que também não contiveram as lágrimas. “Conversei, acalmei a turminha e pedi a todos que tivessem cautela na hora de falar, para não ofender os outros”, destaca.

Oficina de hip hop
O atendimento diferenciado com a oferta de atividades coletivas fomentou uma integração maior entre a garotada nas férias escolares. Um dia de muito hip hop com aulas ministradas pelas professoras e irmãs, Lílian e Flávia Leite, marcou a oficina de dança. Elas ensinaram os primeiros passos aos estudantes, e depois foram formados vários grupos que apresentaram suas coreografias. As crianças experimentaram ainda um dia de lazer no Jóquei Clube, uma gincana esportiva com campeonato de futebol, além de assistir ao filme infantil O Fada do Dente II.

Parceria
O Belizária Correia é uma das 48 unidades de atendimento da parceria entre o Ministério do Esporte e a prefeitura de Anápolis. O convênio atende a um total de 4,8 mil crianças e adolescentes estudantes da rede pública, dos ensinos fundamental e médio.

*Os nomes fictícios foram dados em atenção ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).


Ascom – Ministério do Esporte
Fonte Ascom – Ministério do Esporte 07/03/2013 ás 8h

Compartilhe

Esporte, dança e diálogo instruem alunos órfãos do Programa Segundo Tempo