Especialista aborda aspectos da lipoaspiração

Fonte Fernanda Bueno. 19/11/2009 às 0h
Para quem quer mostrar uma boa forma no próximo verão, ainda dá tempo de tomar providências. E um dos aliados mais poderosos nesta preparação para o verão é a lipoaspiração, uma das mais procuradas cirurgias plásticas, que tem por finalidade reduzir gorduras localizadas, proporcionando ao paciente um melhor contorno corporal. As áreas que podem ser beneficiadas por este tipo de procedimento são o abdômen, a cintura, os flancos (mais conhecidos como os pneuzinhos), as costas, os culotes, a região abaixo do queixo (a famosa papada), braços e coxas.

No entanto, esclarece o cirurgião plástico com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Laércio Guerra Garcia Jr., a lipoaspiração não é uma cirurgia que tem como objetivo reduzir peso e sim melhorar o contorno corporal e levar à perda de medidas das regiões tratadas. “A lipoaspiração é indicada para o tratamento de gorduras localizadas que são difíceis de serem eliminadas apenas com exercício físico e dieta. Não serve para emagrecer, ou seja, aqueles que vão se submeter a este procedimento devem estar próximos ao seu peso ideal”, explica.

A cirurgia varia, em tempo, de acordo com a quantidade de gordura a ser aspirada e deve ser feita em ambiente hospitalar. O procedimento pode ser realizado sob anestesia local, peridural ou geral. A escolha do tipo de anestesia, que deve ser avaliada pelo médico e definida em conjunto com o paciente, dependerá da extensão da área e do volume de gordura a ser removido. Segundo as normas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), o volume máximo de gordura aspirado não deve ultrapassar o equivalente a 7% do peso corporal do paciente.  

Antes da cirurgia é preciso controlar a alimentação, que deve ser balanceada, e evitar ingerir álcool ou tabaco. Sem falar, obviamente, no uso de outras drogas que podem interagir com a anestesia, causando sérios danos e até mesmo a morte. A saúde da pessoa também deve estar em boa condição de uma forma geral, não apresentando infecções ou anemia. Casos de diabetes e hipertensão devem estar totalmente sob controle para que o procedimento seja realizado. “Exigimos exames de sangue e cardiovasculares no pré-operatório”, esclarece o especialista. Antes da operação, deve-se fazer jejum de oito horas e levar a cinta indicada pelo médico no dia do procedimento.

A partir do terceiro mês, em geral, o paciente submetido à lipoaspiração já vai poder obter um resultado mais definitivo do procedimento. Normalmente, as cicatrizes, que são pequenas – cerca de 0,5 centímetro - ficam localizadas em regiões em que podem ser disfarçadas. Nos primeiros meses após a cirurgia, poderá haver períodos variáveis de inchaço, de acordo com a resposta de cada paciente. A volta da sensibilidade total à região ocorre entre o terceiro e o sexto mês, normalmente. Pequenas variações de peso não interferem no resultado da cirurgia, porém, pessoas que ganham muito peso após o procedimento podem vir a manifestar irregularidades na área operada, além de perder o resultado.

De uma maneira geral, os pacientes podem voltar às suas atividades habituais após uma semana da cirurgia, dependendo da extensão da lipoaspiração, no entanto, são recomendados o uso de cinta abdominal e sessões de drenagem linfática nos dois meses após a operação, para facilitar a acomodação da pele e ajuda a diminuir o inchaço, além de otimizar o resultado. “Rotineiramente, os especialistas estão utilizando também as manobras de prevenção de tromboembolismo.  O uso de botas de compressão pneumáticas intermitentes e meias elásticas compressivas já durante a cirurgia deve fazer parte da programação cirúrgica, a fim de se prevenir a formação de trombos por falta de movimentação”, esclarece o cirurgião.


TIPOS DE LIPOASPIRAÇÃO

Hoje, há alguns tipos de lipoaspiração e cada uma tem suas indicações:

Lipoaspiração – técnica cirúrgica, na qual a gordura é aspirada por meio de uma cânula.

Lipoescultura – é uma lipoaspiração na qual parte da gordura aspirada é injetada em outra parte do corpo (vincos da face, glúteos etc.), objetivo um preenchimento destas áreas.

Vibrolipoaspiração – é a lipoaspiração realizada a partir de um aparelho que faz a cânula vibrar, facilitando a entrada na gordura.

Lipoaspiração ultrassônica – é a lipoaspiração em que na primeira etapa se insere uma cânula com ponta de ultra-som, que visa desfazer a gordura. Em seguida, é feita a lipoaspiração tradicional.

Lipoaspiração a laser – é igual a ultrassônica, mas o laser entra no lugar do ultra-som.

HLPA – conhecida também como hidrolipo aspirativa, neste procedimento é lipoaspirada uma quantidade menor de gordura em pequenas áreas do corpo, com a utilização de aparelho de ultra-som.

Lipo light – é uma lipoaspiração realizada por setor (por partes), com volume menor lipoaspirado.
Fernanda Bueno.
Fonte Fernanda Bueno. 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Especialista aborda aspectos da lipoaspiração