Espanha e Cuba normalizam "plenamente" as relações bilaterais

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
A relação entre Cuba e Espanha foi totalmente normalizada durante a visita de 48 horas do chanceler espanhol, Miguel Angel Moratinos, que se comprometeu a trabalhar pela substituição da "posição comum" europeia por um "acordo bilateral" com a ilha.

Moratinos assumiu o compromisso de buscar esta mudança no primeiro semestre do próximo ano, quando a Espanha assume a presidência da UE. A denominada "posição comum" foi aprovada em 1996 pelo ex-chefe de Governo espanhol José María Aznar e desde então foi adotada pelos europeus. A medida vincula a relação com Cuba ao respeito aos direitos humanos.

Em coletiva de imprensa, Moratinos ratificou ter expressado ao presidente cubano, Raúl Castro, a vontade de seu país de "abandonar essa posição comum e substituí-la por um acordo bilateral". Neste sentido, ponderou que este processo "será difícil e complexo pela oposição de alguns estados-membros [da UE], mas esperamos resultados positivos".

Já no encontro com o chanceler cubano, Bruno Rodrigues, decidiu-se pela fixação de um calendário para se atingir este objetivo "até o fim de junho".

Moratinos também foi questionado sobre a possibilidade de que os países da UE peçam "gestos" a Cuba. "Aqui não se trata de pedir gestos ou não, mas sim de avançar na boa direção e que haja resultados concretos", enfatizou.

A Espanha iniciou em 2008 o levantamento das sanções diplomáticas impostas pela UE ao governo de Cuba em 2003. A medida contra a ilha foi tomada após o fuzilamento e a prisão de 75 dissidentes.

O chanceler espanhol disse ainda que viu em Raúl "um compromisso de avançar no processo de reforma do país, de melhorar a situação econômica de Cuba". Ele também demonstrou estar "plenamente satisfeito" por sua visita.

"Todos os objetivos que nós havíamos marcado se cumpriram, foram normalizados todos os aspectos que faltavam, ainda é preciso fechar uma relação intensa, bilateral entre Cuba e Espanha", afirmou.

Entre os pontos estabelecidos, a normalização das relações compreende o retorno dos agentes do Centro Nacional de Inteligência (CNI) acreditados em Havana.

Raúl foi convidado para participar da Cúpula América Latina-Caribe-União Europeia (EU-LAC, em inglês), que será realizada em maio de 2010 na Espanha, onde poderia reunir-se com o chefe de Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero.

Por sua vez, Zapatero poderá visitar Cuba no segundo semestre do próximo ano, assim que encerrar a presidência espanhola do grupo europeu, ainda de acordo com o chanceler. Em sua estadia em Cuba, Moratinos não se reuniu com dissidentes.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Espanha e Cuba normalizam "plenamente" as relações bilaterais