Equador pedirá à OEA que boicote eleição hondurenha

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O Equador pedirá à Organização dos Estados Americanos (OEA) que não reconheça o resultado da eleição presidencial de Honduras caso ela seja realizada sob a coordenação do governo de facto do país, que substitui o mandatário deposto, Manuel Zelaya.

"Esta é uma medida efetiva que tem de ser tomada pela OEA. Qualquer eleição sob um regime de facto não tem validade alguma", disse o presidente equatoriano, Rafael Correa, à Associação Latino-Americana de Educação Radiofônica (Aler).

A eleição presidencial hondurenha deve ocorrer no dia 29 de novembro e estava marcada antes do golpe de Estado de 28 de junho, quando Zelaya foi tirado do poder pelas Forças Armadas.

Correa voltou ainda a criticar o que considera uma falta de medidas claras para pressionar o regime de facto que governa Honduras, sob a liderança de Roberto Micheletti, nomeado presidente pelo Congresso. Segundo ele, o golpe se mantém graças ao apoio de grupos norte-americanos.

"Se os Estados Unidos quiserem acabar com este golpe de Estado, acabam com ele amanhã", disse o presidente equatoriano, que se ofereceu mais uma vez para acompanhar Zelaya em um eventual retorno a Tegucigalpa.

No dia 24 de julho, durante uma cúpula realizada em Assunção, no Paraguai, os países-membros do Mercosul também informaram que não reconhecerão o processo eleitoral hondurenho caso Zelaya não seja restituído.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Equador pedirá à OEA que boicote eleição hondurenha