Engenheiro adapta sistema para otimização de obras

Fonte Jornal da Unicamp 16/03/2013 às 21h

Engenheiro adapta sistema para otimização de obras

O engenheiro Sergio da Silva Lacerda se valeu de sua experiência de sete anos na gestão de obras na Prefeitura da Unicamp para adaptar uma ferramenta já existente e utilizada por montadoras de veículos, denominada “Lean Thinking”, para a área de construção civil. O Mapeamento de Fluxo de Valor, parte do conjunto de metodologias do Sistema Toyota de Produção, auxilia na otimização da gestão de processos tanto operacionais, quanto administrativos em reformas e construções em universidades públicas, diminuindo, assim, desperdício de material, mão de obra e tempo. “As universidades públicas cada vez mais investem em obras de construções para a expansão física. Neste sentido, a gestão de processos que otimizem as ações são necessárias para se evitar desperdícios e questionamentos do Tribunal de Contas da União”, destaca Lacerda, que apresentou dissertação de mestrado contendo as suas propostas na Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC).

Sérgio Lacerda foi orientado pelo professor Flávio Augusto Pichi e atualmente é Diretor da Divisão de Engenharia do Hospital das Clinicas da Unicamp, mas realizou o estudo de caso referente à fase de pré-construção composta pelas etapas de Planejamento, Projeto e Documentação, enquanto exercia suas atividades na Coordenadoria de Projetos e Obras da Universidade (CPO). Ele tomou uma determinada situação e realizou o mapeamento do estado atual, uma espécie de diagnóstico em que constatou os problemas e onde estavam as principais dificuldades a serem vencidas. Num segundo momento, Lacerda realizou a projeção da situação futura, baseada na ferramenta proposta. “Identifiquei, principalmente, as questões relativas aos retrabalhos e desperdícios de tempo na fase estudada em que se verificou uma demora para conclusão de 966 dias. Pelo estudo, conseguiria, por exemplo, uma redução de 1/2 do tempo, caso se optasse pela implementação das melhorias sugeridas”.

Um exemplo utilizado na pesquisa para a otimização dos serviços foi a célula de trabalho, ou seja, o fluxo dentro da CPO. Como muitas áreas envolvidas no processo são separadas hierárquica e fisicamente, foi necessário um estudo para que se eliminassem etapas que não agregariam nenhum tipo de valor e que se criasse um fluxo contínuo, considerando o controle mínimo de qualidade. Segundo Lacerda, o grande ponto do conceito de Mapeamento de Fluxo de Valor é a oposição à produção em massa. O andamento da construção é avaliado a cada etapa e, quando detectado um problema, é solucionado antes que se tenha uma continuidade. “Tudo isso apenas com um lápis e papel, sem softwares ou modelos complexos”, afirma Sérgio Lacerda. (R.C.S.)

Publicações

Dissertação: “Proposição de melhorias na fase de pré-construção em universidade pública utilizando o mapeamento de fluxo de valor: estudo de caso”Autor: Sergio da Silva LacerdaOrientador: Flávio Augusto PichiUnidade: Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC)

Jornal da Unicamp
Fonte Jornal da Unicamp 16/03/2013 ás 21h

Compartilhe

Engenheiro adapta sistema para otimização de obras