Empresa que atende usinas de cana se destaca em ranking internacional

Fonte Ascom da Finep 07/03/2013 às 18h
A Enalta, empresa de tecnologia para o setor sucroalcooleiro sediada em São Carlos (SP), foi a única brasileira a aparecer no ranking de inovação da revista norte-americana Fast Company. A lista anual da publicação destaca as 50 mais inovadoras do mundo. A Enalta, que ficou em 43º lugar, é cliente da Finep – Agência Brasileira da Inovação, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

 

A companhia foi apoiada com R$ 2,683 milhões por meio do Programa de Subvenção Econômica. Líder de mercado em tecnologia embarcada para máquinas e implementos agrícolas, atende as cinco maiores usinas de cana do país. Nos últimos três anos, seu faturamento saltou de R$ 1 milhão para R$ 13 milhões. Sua última novidade é um software de comando de voz que monitora o plantio e a irrigação.

A Enalta nasceu em 1999 em Catanduva (SP). Em 2001, mudou sua sede para a cidade de São Carlos, visando ampliar seu relacionamento com centros de pesquisas e universidades da região, instalando-se no Parque de Alta Tecnologia da Cidade de São Carlos).

Em 2008, em parceria com o Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da Universidade de São Paulo (USP), de Piracicaba, a empresa começou o desenvolvimento do projeto Aquavin, com o recurso da subvenção. O projeto visa aumentar a produtividade da cana-de-açúcar com a aplicação controlada de vinhoto (subproduto da fabricação do etanol nas usinas). A ideia é melhorar o processo de fertilização do solo e nutrição da cultura. Em uma única operação de campo, será possível aumentar a eficiência da fertilização nitrogenada e a reposição do potássio na cultura, um importante nutriente.

Aproveitamento

Segundo a empresa, o Brasil importa 70% do potássio, 60% do nitrogênio e 85% do fósforo de que precisa e a maioria de suas reservas com potencial de extração está distante dos grandes centros produtores agrícolas. Os fertilizantes químicos processados e produzidos no país são comercializados por multinacionais que ditam o preço nesse mercado. A companhia trabalha o vinhoto como fonte alternativa e viável de potássio, principalmente para a indústria de açúcar e álcool. Para cada litro de etanol produzido, são gerados 8 litros da substância concentrada.

Outro projeto apoiado pela Finep em que a Enalta atua é uma parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Por meio de recursos do Fundo Setorial de Agronegócio (CT-Agro), foi desenvolvida uma plataforma tecnológica de agricultura de precisão para aumentar a eficiência no processo de corte e colheita de cana.

 

 

Ascom da Finep
Fonte Ascom da Finep 07/03/2013 ás 18h

Compartilhe

Empresa que atende usinas de cana se destaca em ranking internacional