Emma Thomas exibe nova série de Gui Mohallem, resultado de residência de seis semanas no Líbano

Fonte Agência Lema 26/05/2013 às 17h

Beleza e horror coabitam em vídeos, fotografias e objetos

São Paulo, maio de 2013 – No dia 06 de junho, a Emma Thomas abre a exposição “Tcharafna”, individual de Gui Mohallem, na qual o artista apresenta um total de 13 obras, entre vídeos, fotografias e objetos. Esses trabalhos são fruto de uma estada no Líbano, terra-natal dos pais de Mohallem.

A série exibida na mostra aborda, ao mesmo tempo, questões relativas a conflitos históricos e fortes traços de uma cultura local. Nas obras coexistem, de maneira intrínseca e complexa, a beleza e o horror. “Nessa etapa de minha pesquisa, busco uma relação não idealizada com o outro”, explica o artista.

“Tcharafna” dá sequência à série “Welcome Home”, tendo nesta um ponto de partida para uma nova busca. “Após a experiência da série ‘Welcome Home’, procurei encontrar um caminho novo, mais complexo, em que o lugar de pertencimento não é visto como um paraíso. Depois de encontrar um lugar para chamar de casa num santuário pagão, conquistei o chão para tomar o passo mais importante: o de investigar as raízes culturais da família”, analisa Mohallem.

O título da série atual é um termo de cumprimento similar a quando dizemos “Prazer em conhecê-lo”. A palavra “tcharafna”, contudo, está relacionada à honra, sendo que a tradução literal seria “Estamos honrados”. A presença de sentimentos profundos dentro de um universo cotidiano e corriqueiro se reflete nesses trabalhos de Mohallem, marcados pelo sangue, símbolo, ao mesmo tempo, dos laços familiares e da violência.

Nessa exposição, o artista mineiro mescla um conjunto de vídeos e fotografias provenientes do imenso acervo de imagens coletadas ao longo de sua estadia na vila Fakiha, local de origem de sua família, no nordeste libanês. Continuação de sua pesquisa sobre pertencimento, “Tcharafna” não compõe uma única narrativa linear. Assim como seus trabalhos anteriores, a nova série traz uma postura envolvida e emocionalmente conectada.

Gui Mohallem

Natural de Itajubá, no sul de Minas Gerais, Gui Mohallem se formou em cinema pela Escola de Comunicação e Artes da USP. Em 2011, ganhou segundo lugar no prêmio Conrado Wessel, um dos maiores do Brasil, e foi selecionado para o programa “Descubrimientos”, no Photoespaña, em Madri. O artista é um dos selecionados, ao lado de nomes de todo o mundo, para a 18ª edição do festival Vídeo Brasil, que acontece entre novembro de 2013 e fevereiro de 2014.

Sobre a galeria Emma Thomas

A galeria Emma Thomas, das sócias Flaviana Bernardo e Juliana Freire, foi inaugurada em 2006 com o intuito de democratizar a arte contemporânea, modificando e adaptando as práticas do mercado a fim de aproximar a produção artística do público em geral. A galeria representa cerca de 14 artistas da nova geração e em maio de 2012, ganhou o Prêmio de Melhor Galeria Jovem em Buenos Aires. Além das mostras, projetos e feiras nacionais e internacionais, o novo programa da Emma Thomas promove o livre intercâmbio do conhecimento e do questionamento cultural. Desde outubro de 2012, a galeria está em novo endereço no bairro dos Jardins e passa a contar com a empresária Mônica Martins como nova sócia.

“Tcharafna”, de Gui Mohallem @ Galeria Emma ThomasAbertura: 06 de junho, às 18hPeríodo expositivo: 07 de junho a 18 de julhoRua Estados Unidos, 2205, Jardins – São Paulocontato@emmathomas.com.br www.emmathomas.com.br Segunda a sexta das 11h às 19h, sábados das 11h às 17hEntrada gratuita/ Livre

 

Agência Lema
Fonte Agência Lema 26/05/2013 ás 17h

Compartilhe

Emma Thomas exibe nova série de Gui Mohallem, resultado de residência de seis semanas no Líbano