Em março, a descobrir os habitantes das noites em Praga: Corujas no Eurochannel

Fonte Eurochannel, Inc. 26/02/2013 às 22h

Quem diz do que uma experiência traumática não pode ser aproveitada? O Eurochannel os leva conhecer uma jovem checa na sua procura pelo sentido da vida enquanto fica longe da realidade que a envolve. Descubram o que as noites de Praga guardam em Corujas, um filme de amor, ternura, amizade e esperança. Estreia sexta feira 29 de março às 22:30 Hrs.

Corujas conta a história de uma menina que está saindo da adolescência e lutando por definir a sua personalidade. Enquanto o seu quarto ainda tem algumas lembranças da infância ingênua, a vida real ensina ela o que significa a maturidade. Seu namorado a deixa pela sua melhor amiga, trabalha de noite em uma loja 24 horas e o seu torpe e nerd parceiro de trabalho está apaixonado por ela.

Ideado como um projeto de formatura da Academia de Artes Musicais de Praga pela roteirista Irena Hejdová, Corujas conta uma história inspirada na borbulhante vida noturna em Praga. Com um impressionante elenco encabeçado pela nominada ao Oscar e destacada cineasta checa Michaela Pavlátová, o filme demostrou sua qualidade depois de ganhar nas categorias de Melhor Ator e Melhor atriz no Festival Internacional fílmico de Karlovy Vary em 2008.

O Eurochannel é um canal dedicado a Europa: seus filmes, suas séries e sua música . Todos os programas são apresentados na sua língua original e legendados. O Eurochannel é transmitido por mais de 200 operadores de cabo e comunicações por satélite em toda América Latina, EUA, África, Portugal, França e Coréia.

www.eurochannel.com

Videos:

Pergunte-nos sobre os screeners online com legendas em português.

Imagens:

www.eurochannel.com/pictures/Night_owls_1.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Night_owls_2.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Night_owls_3.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Night_owls_4.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Night_owls_5.jpg

Entrevista com Michaela Pavlátová (Diretora)

Fotos:

www.eurochannel.com/pictures/Michaela_Pavlatova_1.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Michaela_Pavlatova_2.jpg

Como você começou a trabalhar no projeto?

O roteiro de Corujas, de Irena Hejdova, ganhou um prêmio em um concurso de roteiristas checos e a minha produtora Katerian Cerna se apaixonou por ele. Ofereceu fazer um filme da história. Eu fiz várias mudanças no roteiro para adaptá-lo.

Como foi a seleção dos atores?

Desde o começo soube que o papel principal, Ofka, deveria ser interpretado por Martha Issova. Eu admirava o seu jeito de atuar no teatro e a sua atuação natural, ela é uma pessoa muito especial, muito forte e amável. Sempre achei que gostaria de trabalhar com ela. O problema era encontrar alguém para Ubr, seu amigo. Queria encontrar atores originais. O casting era enorme de atores e não atores. Logo, quando Juri Madl chegou, foi simplesmente o melhor. Levei um tempo para ficar convencida porque ele já era popular desde adolescente mas finalmente foi a melhor decisão.

Como reagiu às nomeações na Karlovy Vary e os prêmios eventualmente recebidos?

A estreia do filme foi em Karlovy Vary e teve reações positivas e negativas. Esse não é um filme para todo o mundo. Mas de alguma forma, sempre a gente lembra mais as coisas negativas do que as positivas e na estreia fui embora para casa no meio da festa. Deprimida, triste, desliguei o meu celular e não abri o correio eletrônico, eu só queria deixar de ser parte do filme. Logo, o meu produtor ligou para o meu marido achando que tinha me acontecido alguma coisa e me falaram dos dois prêmios. Foi uma verdadeira surpresa para mim e para Marta e Jiri, estávamos fazendo piada sobre o que tal vez os prêmios eram para papeis de criança, ambos são muito jovens.

O que características da cultura checa podem identificar as pessoas de outros lugares quando vêm o filme?

Se tem alguma coisa especificamente checa, isso é difícil de dizer. É uma história universal. A personagem principal, Ofka, está em um estado de animo e em uma situação na qual qualquer pessoa pode estar. Ela não enxerga nenhuma perspectiva para ela, tem que se responsabilizar e começar agir. Sua atitude pode parecer ridícula ou não compreensível para as demais pessoas. Ela é mimada porque não há guerra, sua família não é pobre, porque ela atua como se fosse tola? Tal vez essa seja a razão. Ela não tem nenhum problema, assim do que tem tempo para se comportar desse jeito. Se ela estivesse em uma situação mais difícil, em outro país, provavelmente não poderia mal gastar sua vida como ela faz.

Você trabalha também em filmes de animação, e que gosta mais dirigir, animação ou pessoas?

Eu gosto das duas coisas, cada uma tem suas características próprias. Na animação você pode expressar coisas que você não pode na realidade e ao contrário. Da animação gosto da independência, a concentração, você está completamente sozinho criando um universo, sem dar explicações, você é o criador. Mas as vezes há solidão e os filmes não chegam à audiência como os filmes com pessoas.

Os filmes normais são cansativos, horríveis e fascinantes, você esta falando com as pessoas o tempo todo, decide coisas com a esperança do que sejam corretas, fingindo que está cheio de energia quando na realidade não é verdade... Mas tem a energia das pessoas, os atores as vezes trazem ideias novas, tudo é emocionante e tem um “ brilho do pó das estrelas”

Está trabalhando em algum projeto agora?

Tenho vários projetos em preparação, pero só alguns deles verão a luz. Assim, no momento na minha mesa ou na minha cabeça (estou em uma fase diferente de desenvolvimento ou na espera de algum dinheiro) tenho um projeto para uma série de ação para a televisão com algumas peças de animação em ela, um filme de ação para televisão, um filme de títeres sobre o natal, entre outros

Entrevista com Jiri Madl (Ator)

Fotos:

www.eurochannel.com/pictures/Jiri_Madl_1.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Jiri_Madl_2.jpgwww.eurochannel.com/pictures/Jiri_Madl_3.jpg

¿ Como preparou a personagem?

Eu falei para a diretora que conhecia uma pessoa como a personagem. Foi difícil porque eu não queria fazer o castig. Nesse momento eu tinha feito dois filmes, e não queria me sobre-expor. Acabei fazendo o casting mas ela não tinha dúvida sobre muitas coisas.

O que foi o mais estranho de participar no filme?

Eu não sei, era um personagem bonito. Quando começamos o roteiro não era nem mesmo o de uma personagem secundária, era mais como uma personagem de um capítulo de televisão. Mas depois foi muito maior e depois de ver o filme levei em conta que de fato era uns das personagens principais.

Acha que esse crescimento do seu personagem foi pela fama que você tinha nesse país?

Não, acho não. A produtora do filme focaliza a distribuição no exterior mais do que no interior do país.

O que podem os espetadores estrangeiros identificar como algo característico da República Checa?

Sei lá, o filme é um drama, mas eu diria que as pessoas podem levar conta que nós amamos aos perdedores. É algo assim como uma tendência muito especial que nós temos.

Como acabou atuando?

Eu fiz um pouco de teatro na escola, e ganhamos um concurso nacional com uma peça. Não queria continuar atuando porque queria ser um jogador de Hockey sobre gelo. Para minha desgraça quebrei meu cotovelo quando tinha 16 anos e não podia voltar jogar durante dois anos. Então comecei procurar alguma coisa para fazer e a minha mãe sugeriu voltar à atuação. Fiquei sabendo de um casting aberto ao público e fui provar em Praga. Fui escolhido para o papel principal e assim comecei.

Qual foi a sua reação quando soube que era o ganhador do prêmio de Melhor Ator no Karlovy Vary, chegando ser o ator mais jovem em obter esse prêmio?

Eu não esperava isso. Foi o meu primeiro filme em um festival de cinema internacional. Foi interessantíssimo estar ali, e acho que me ajudou ser reconhecido não só como estrela nacional de comédias, mas como um ator respeitável. A atitude das pessoas da indústria mudou completamente.

Sendo um ator muito jovem. Como vê a indústria do cinema do seu país?

Acho que nós pertencemos a esse clube de industrias de profunda e longa tradição como a francesa, a britânica o a italiana. Não entanto, acho que é uma indústria que está morrendo lentamente devido a que não se conta com apoio do governo, uma coisa prejudicial para uma indústria tão tradicional como a nossa. Uma vez que não tem apoio, a única oportunidade é conseguir patrocinadores, mas eles querem estar presentes de alguma forma. Por isso tem as vezes filmes idiotas e as vezes coisas geniais. Isso é uma tendência crescente e acho que a indústria vai morrer pronto se não tem mudanças.

Você tem feito um curso de roteirista, como vai nessa faceta?

Me formei e foi genial. Eu queria ser jornalista ou roteirista mas acabei atuando. Não entanto continuo tentando de voltar ao que mais eu gosto. Já co-escrevi um filme que está na produção. Tenho feito algumas coisas mas sou bastante supersticioso assim que não quero falar muito disso.

Está trabalhando em algum projeto nesse momento?

Estou, sim. Estou trabalhando em uma coprodução checa, eslovaca e holandesa baseada em um romance. É um filme em inglês, assim que é um projeto interessante para participar.

Informação geral:

Elenco: Martha Issová, Jiří Mádl, Lenka Termerová, Jan Dolanský
Diretor: Michaela Pavlátová
Gênero: Drama
País: República Checa
Ano: 2008
Título original: Deti noci

Sinopsis:

Depois do que o seu namorado largou ela inesperadamente por estar paquerando com a sua melhor amiga, Ofka (Martha Issová) se pergunta pelo que realmente importa na vida. Cheia de problemas, não leva em conta que o seu melhor amigo Ubr (Jiří Mádl) está apaixonado por ela. Ofka trabalha na noite em uma loja 24 horas, o que a aproxima com personagens únicas. Mas, inclusive essas experiências estranhas não parecem comovê-la de nenhum jeito, até que uma noite a loja é roubada. Esse assalto sacude Ofka do seu letargo e faz com que ela tenha um novo olhar do mundo.

 
 

Eurochannel, Inc.
Fonte Eurochannel, Inc. 26/02/2013 ás 22h

Compartilhe

Em março, a descobrir os habitantes das noites em Praga: Corujas no Eurochannel