Em 2013, o Teatro de Arena é do Grupo Tapa (SP)

Fonte FUNARTE 25/04/2013 às 9h

Contemplado por edital público, projeto começa com peças de Pedro Brício, August Strindberg e Arthur Azevedo. Programação vai até 22 de dezembro

breu
"Breu", de Pedro Brício, de 26 a 28 de abril no Arena. Foto: divulgação

O Grupo Tapa, vencedor em 2013 do Edital de Ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet, dá início à programação de seu projeto Tapa no Arena – uma Ponte na História, que trará espetáculos de seu repertório e de convidados para este espaço da Funarte em São Paulo.

Fundado em 1979 no Rio de Janeiro, o Grupo Tapa propõe não só o diálogo com a cultura brasileira, mas também com a ideia de cultura como um valor distintivo da humanidade. O grupo leva a plateias do Brasil e do exterior peças de autores como Nelson Rodrigues, Arthur Azevedo, Oduvaldo Vianna Filho, Plínio Marcos, Jorge Andrade, William Shakespeare, August Strindberg, Luigi Pirandello e Tennessee Williams. Algumas destas encenações, entre outras de grupos parceiros, vão compor a programação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet até 22 de dezembro.

Já na quarta-feira, 24 de abril, uma única apresentação de Retratos Falantes, com dois monólogos escritos em 1987 pelo inglês Allan Bennett para a BBC, de Londres, dá início à temporada de ocupação. Os dois textos retratam figuras anônimas, símbolos da solidão e da incomunicabilidade de uma classe média frustrada. Em Fritas no Açúcar, Brian Penido interpreta um homem solteiro que vive com a mãe esclerosada. Já Brincando com Sanduíche traz o ator Zécarlos Machado no papel de um funcionário que, sob a capa de um pacato homem de família, oculta uma vida escabrosa.

Breu
No fim de semana, entre os dias 26 e 28 de abril (de sexta a domingo), o Tapa apresenta o espetáculo convidado Breu, contemplado duas vezes pelo Prêmio Questão de Crítica (revista eletrônica de crítica e estudos teatrais do Rio de Janeiro), e uma pelo prêmio Associação dos Produtores de Teatro do Rio de Janeiro (APTR). A peça, escrita em 2011 pelo dramaturgo carioca Pedro Brício, está situada no subúrbio carioca dos anos 1970, onder Carmem e Aurora se encontram para fazer cachorros-quentes. Mas o que parece ser uma corriqueira reunião de trabalho é transformado pelo medo e pela desconfiança que definiram a ditadura no Brasil. “Mais do que um relato histórico, Breu trata das precárias relações humanas que se alteram constantemente e geram infinitas leituras e invenções do outro e dos acontecimentos”, definem os realizadores.

Em maio, logo depois de Breu, seguem as estreias de Senhorita Júlia, de August Strindberg, e de As Viúvas, de Arthur Azevedo.

Senhorita Júlia
Escrita em 1887, Senhorita Júlia é um marco da dramaturgia naturalista e ganha, na versão do Tapa, contornos de peça-sonho, afinados com a fase final da obra do autor. Através do embate entre uma jovem aristocrata (Anna Cecília Junqueira) e seu criado (Augusto Zacchi), Strindberg aborda seus temas recorrentes: a disputa entre os sexos e as classes e a contradição entre pulsão erótica e realidade. A ação acontece sempre sob o olhar atento da cozinheira (Paloma Galasso), que, com sua presença, corrobora a máxima imortalizada anos depois por Jean Paul Sartre: “O inferno são os outros”.

As Viúvas
Ambientado no início do século, As Viúvas é um espetáculo composto por três comédias de rápida duração. Nelas, três viúvas apresentam suas estratégias para conseguir um casamento. A partir desse tema provocativo o autor maranhense Arthur de Azevedo expõe os valores do final do século XIX. Escritos em anos diferentes, compõem o espetáculo os textos Amor por Anexins (1870), Uma Consulta (1901) e O Oráculo (1907).

Todas as peças, originalmente concebidas para o palco italiano, estão sendo adaptadas para o palco de arena. O cronograma de apresentações segue até dia 22 de dezembro, com espetáculos de quarta a domingo, ao preço de R$ 20 a inteira.

Projeto Tapa no Arena – uma Ponte na História
Projeto contemplado pelo edital de ocupação do Teatro de Arena Eugênio Kusnet/2013
Teatro de Arena Eugênio Kusnet. Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – Vila Buarque. Tel (11) 3256-9463
Capacidade: 98 lugares
Ingressos: R$ 20 (meia: R$ 10). A bilheteria abre uma hora antes do espetáculo – um ingresso por pessoa

Espetáculo: Retratos Falantes
Dia 24 de abril | Quarta, às 20h
De Allan Bennett | Tradução de Clara Carvalho | Direção de Eduardo Tolentino de Araújo | Elenco: Brian Penido (Fritas no Açúcar) e Zecarlos Machado (Brincando com Sanduíche)
Recomendação etária: 14 anos |Duração: 90min.

Espetáculo: Breu, de Pedro Brício (2011)
De 26 a 28 de abril | Sexta e sábado, 21h; domingo, 19h
Direção: Maria Silvia Siqueira Campos e Miwa Yanagizawa | Com: Kelzy Ecard e Nataliz Gonsales
Recomendação etária: 12 anos | Duração: 90min.

Espetáculo: Senhorita Júlia, de August Strindberg (1849/1912)
Dias 1º e 2 de maio | Quarta e quinta, 20h
De 3 de maio a 2 de junho | Sextas e sábados, 21h; domingos, 19h
Direção: Eduardo Tolentino de Araújo | Elenco: Anna Cecília Junqueira, Augusto Zacchi, Paloma Galasso
Recomendação etária: 14 anos | Duração: 90min.

Espetáculo: As Viúvas, de Artur Azevedo (1815-1848)
De 8 de maio a 29 de junho | Quartas e quintas, às 20h; Sábados, às 18h
Direção: Sandra Corveloni | Elenco: Brian Penido, Bruno Barchesi, Clara Carvalho, Cintia Hussey, Riba Carlovich, Fernando Paz / Elcio Rodrigues, Sandra Corveloni, Tony Guisti.
Recomendação etária: livre | Duração: 75min.

FUNARTE
Fonte FUNARTE 25/04/2013 ás 9h

Compartilhe

Em 2013, o Teatro de Arena é do Grupo Tapa (SP)