Em 2013, Dia Mundial da Água atenta para a importância da cooperação

Fonte Ascom do MCTI 22/03/2013 às 17h
Clique para ver todas as fotos de Em 2013, Dia Mundial da Água atenta para a importância da cooperaçãoO Dia Mundial da Água é celebrado no dia 22 de março desde 1993, como forma de chamar a atenção para a importância e o manejo sustentável dos recursos hídricos do planeta. A cada ano, é destacado um aspecto específico desse recurso natural e, em 2013, a data remete às reflexões sobre a cooperação em torno da água, em referência também ao Ano Internacional de Cooperação pela Água, instituído pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

 

Na avaliação do coordenador geral de Meteorologia, Climatologia e Hidrologia do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Sanderson Leitão, as ações da pasta vão ao encontro dos objetivos esperados e dos princípios defendidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), “ao entender que a urbanização acelerada deteriora a qualidade de vida dos habitantes das cidades, criando riscos e vulnerabilidades socioambientais que necessitam de investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação [C,T&I], em gestão e em infraestrutura para serem solucionados”.

Segundo Leitão, que é doutor em Meio Ambiente e Desenvolvimento e presidente da Câmara Técnica de Ciência e Tecnologia do Conselho Nacional de Recursos Hídricos (CTCT/CNRH), um dos principais desafios à gestão sustentável dos recursos hídricos é reajustar o consumo de água à demanda, de modo a manter a integridade e sustentabilidade ambiental.

Ele lembra que, apesar de a superfície da Terra ser coberta por três quartos de água, 97% é salgada e apenas 3%, doce. Um percentual significativo desse recurso está no Brasil, que possui 14% das reservas mundiais, o que reforça a importância da mobilização de diferentes agentes em torno da questão.

O coordenador acrescenta que, do total de água doce existente no planeta, a maior parte encontra-se sob a forma de gelo nas calotas polares, na Antártica e geleiras, parte é gasosa e parte é líquida — representada pelas fontes subterrâneas e superficiais. Já os rios e lagos, que são as principais formas de abastecimento, correspondem a aproximadamente 0,01%. “Soma-se a isso a poluição e o fato de que, na Terra, tudo é mantido graças à presença da água. Assim teremos a dimensão do problema que a humanidade precisa enfrentar”, alerta Leitão.

Fundos setoriais

A área de recursos hídricos está contemplada entre os 16 Fundos de Apoio ao Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico, sendo dois transversais e 14 relativos a setores específicos, como o CT-Hidro. Conhecidos como fundos setoriais, eles têm como objetivo garantir a ampliação e a estabilidade do financiamento para a área de ciência e tecnologia.

Os recursos são oriundos de contribuições incidentes sobre o faturamento de empresas e/ou sobre o resultado da exploração de recursos naturais pertencentes à União. O modelo de gestão é baseado em comitês gestores, cada qual presidido por um representante do MCTI e integrado por representantes de ministérios afins, agências reguladoras, setores acadêmicos e empresariais, além das agências de fomento do ministério - a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O CT-Hidro tem como foco a capacitação de recursos humanos e desenvolvimento de produtos, processos e equipamentos com o propósito de aprimorar o uso dos recursos hídricos por meio de ações nas áreas de gerenciamento, conservação de água no meio urbano, sustentabilidade nos ambientes brasileiros e uso integrado e eficiente da água.

Desde a criação, em 2001, até o ano passado, foram investidos por meio do fundo cerca de R$ 372 milhões. Segundo Leitão, novos editais já estão previstos para serem lançados no primeiro semestre de 2013. “A ideia é contemplar áreas prioritárias de desenvolvimento científico e tecnológico”.

As chamadas, acrescenta o coordenador do MCTI, serão voltadas para projetos nas linhas de pesquisa: qualidade da água, gerenciamento de recursos hídricos, conservação da água, manejo, recuperação e conservação do solo e da biodiversidade, desenvolvimento tecnológico e inovação em recursos hídricos e adaptação e mitigação de mudanças climáticas em recursos hídricos.

Para Leitão, o CT-Hidro contribui sobremaneira para a promoção do desenvolvimento científico e tecnológico da gestão de recursos hídricos, consolidando e conferindo aplicabilidade e difusão de conhecimento.

Ele ressalta, ainda, a importância do tema para o sistema de C,T&I no fomento à sustentabilidade ambiental e para o nível de progresso que se deseja que o Brasil alcance nos próximos anos. “A gestão sustentável dos recursos hídricos é integrada e faz parte das prioridades dos investimentos em C,T&I, de forma a promover a melhoria da qualidade e sustentabilidade ambiental bem como o desenvolvimento socioeconômico do país”.

Essas ações, diz Leitão, vão ao encontro do estabelecido na Década Brasileira da Água, instituída por meio de decreto de 22 de março de 2005, com o objetivo de promover e intensificar a formulação e a implementação de políticas, programas e projetos relativos ao gerenciamento e uso sustentável da água.

 

 

Ascom do MCTI
Fonte Ascom do MCTI 22/03/2013 ás 17h

Compartilhe

Em 2013, Dia Mundial da Água atenta para a importância da cooperação