Eleição de Azevêdo deve fortalecer sistema multilateral de comércio, diz Fiesp

Fonte Agência Brasil 07/05/2013 às 17h

 

São Paulo – O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, disse que a eleição do brasileiro Roberto Azevêdo para o cargo de diretor-geral da Organização Mundial de Comércio (OMC) deve fortalecer o comércio multilateral. Para Skaf, a eleição do brasileiro também mostra a importância do país no cenário mundial.

“Além de fortalecer ainda mais o sistema multilateral de comércio, a eleição de Roberto Azevêdo é prova da importância crescente que o Brasil vem assumindo no cenário internacional. É motivo de orgulho para o país ter um brasileiro no comando de uma organização tão importante como a OMC”, disse o presidente da Fiesp, por meio de nota.

Para a entidade, a eleição de Azevêdo vai trazer benefícios para o país no comércio mundial. “Com uma sólida carreira na diplomacia, que inclui 15 anos em cargos ligados à OMC, o embaixador liderou pleitos importantes vencidos pelo país, como por exemplo os subsídios ao algodão contra os Estados Unidos e ao açúcar contra a União Europeia. É considerado o mais bem preparado diplomata brasileiro em questões de comércio internacional”, diz a Fiesp.

O vice-presidente executivo da Embraer, Jackson Schneider, também falou sobre a eleição na OMC. Segundo ele, a expectativa é que, com a eleição de Azevêdo, as negociações da Rodada Doha sejam retomadas. “A experiência e a competência do embaixador Roberto Azevêdo ajudará a entidade na defesa da transparência, do respeito às regras multilaterais de comércio e na retomada das negociações no âmbito da Rodada Doha”, disse Schneider.

O brasileiro disputou o cargo com o mexicano Herminio Blanco. O eleito assume a direção-geral da OMC em 31 de agosto substituindo o francês Pascal Lamy. A decisão será anunciada oficialmente nesta quarta-feira (08).

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 07/05/2013 ás 17h

Compartilhe

Eleição de Azevêdo deve fortalecer sistema multilateral de comércio, diz Fiesp