Educação e cultura em verso

Fonte Ministério da Cultura 13/08/2014 às 20h
Começam a ser executados os primeiros projetos financiados pelo Mais Cultura nas Escolas, programa dos ministérios da Cultura (MinC) e da Educação (MEC) que destinará R$ 100 milhões para a promoção de atividades culturais em 4,8 mil escolas públicas brasileiras. Um exemplo é o projeto Poesia na Escola, que está sendo implantado pela poetisa mineira Dayanne Timóteo no Centro de Ensino Médio do Riacho Fundo I, região de baixa renda no Distrito Federal.

Até o fim do ano, cerca de 250 alunos da escola participarão de atividades ligadas à poesia. Serão realizadas oficinas de declamação, jornalismo, produção cultural, fotografia e cordel. Nas aulas de Língua Portuguesa, serão estudadas a vida e a obra de seis poetas brasileiros: Adélia Prado, Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meirelles, Cora Coralina e Clarice Lispector. Também serão realizados saraus em que os alunos declamarão poemas próprios, produzidos na oficina de declamação, e dos seis autores estudados.

"Nosso objetivo é fazer com que os alunos, que são de uma região carente do ponto de vista cultural, tenham acesso à literatura, à poesia, a uma nova forma de aprender", explica Dayanne. "Como dizia o ex-ministro da Cultura José Aparecido, ‘se a educação é o corpo, a cultura é a alma'. Esse projeto é um encontro entre o artista e a escola, entre a arte e os alunos", destaca.

A primeira atividade do projeto foi uma visita à exposição "Pela superfície das páginas", no Espaço Cultural Marcantonio Villaça, no Tribunal de Contas da União (TCU), realizada na sexta-feira (8/8). Cerca de 50 alunos conheceram a mostra, em que 36 artistas trabalham diversas possibilidades estéticas em páginas de livros, e tiveram a oportunidade de discutir sobre a importância da literatura.

Aurélio da Silva Neres, 15 anos, é um dos alunos que participou da visita. Ele considera muito importante realizar atividades voltadas à poesia e à literatura. "Muita gente diz que não gosta de ler porque não conhece, por isso é preciso dar um impulso", afirma Aurélio, que gosta de ler livros de história e pretende ser professor para ajudar a "moldar as mentes do futuro".

Para a professora Dilvanice Andrade, coordenadora do Poesia na Escola pelo Centro de Ensino Médio do Riacho Fundo I, os recursos do Mais Cultura nas Escolas permitem um aprimoramento na maneira de se ensinar literatura. "Com o projeto, conseguimos ampliar e fortalecer nosso trabalho, fazendo com que os alunos tenham novas experiências e possam sair do ambiente de sala de aula", destaca.
Vendedora de poesias
Com apenas 28 anos, a poetisa Dayanne Timóteo, idealizadora do Poesia na Escola, tem longo histórico de dedicação à poesia. Nascida na área rural de Guanhães (MG), começou a escrever poemas aos 12 anos e publicou seu primeiro livro – "Dormindo com lágrimas, sonhando com flores" – aos 17. "Consegui recursos vendendo rifa de uma bicicleta que ganhei de um comerciante da minha cidade. Mobilizei tanta gente em torno do meu sonho que vendi, no dia do lançamento, 3 mil exemplares", destaca. Em Belo Horizonte, onde foi cursar faculdade de jornalismo, pagava as contas vendendo exemplares de suas obras na noite. "Ia de bar em bar, pedia para declamar uma poesia, as pessoas gostavam e era difícil sair sem vender algum livro", conta.

Em 2010, foi uma das artistas premiadas com a bolsa de circulação literária da Fundação Nacional das Artes (Funarte), que lhe permitiu implantar um projeto que foi precursor do Poesia na Escola. "Levamos poesia a cerca de 3 mil crianças e jovens de escolas públicas de seis escolas de Minas Gerais, sendo quatro do Vale do Jequitinhonha, região de menor renda do estado. Foi uma experiência apaixonante que está se repetindo agora", destaca.
Ministério da Cultura
Fonte Ministério da Cultura 13/08/2014 ás 20h

Compartilhe

Educação e cultura em verso