EBITDA ajustado da Ambev totaliza R$ 3,6 bi no primeiro trimestre de 2013

Fonte In Press Porter Novelli 30/04/2013 às 11h

ü Lucro líquido ajustado foi de R$ 2,34 bilhões, o que representa aumento de 1,3% comparado ao mesmo período do ano passado

ü EBITDA ajustado de Hila-ex cresce aproximadamente R$ 85 milhões se comparado ao primeiro trimestre de 2012

ü Companhia investiu R$ 544 milhões no primeiro trimestre, dos quais aproximadamente 80% foram destinados às operações no Brasil

Ambev consolidado

Primeiro trimestre de 2013

O EBITDA (lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) ajustado da Ambev (América Latina Norte + América Latina Sul + Canadá) registrou, no primeiro trimestre do ano, aumento orgânico de 2,3% em relação a igual intervalo de 2012, encerrando o período com R$ 3,6 bilhões. A receita líquida do período foi de R$ 7,77 bilhões, 2,4% a mais se comparado aos primeiros três meses do ano passado. O lucro líquido ajustado atingiu R$ 2,34 bilhões, um aumento de 1,3% em relação ao 1T12. O volume total de vendas foi de 39,9 milhões de hectolitros, o que representa uma queda de 6,8%, ocasionada, principalmente, a dois fatores: uma desaceleração da indústria de cerveja no Brasil e situação macroeconômica adversa na Argentina. Do total de vendas, 28,5 milhões de hectolitros foram de cerveja e 11,4 milhões de hectolitros foram de Refrigenanc (refrigerantes, bebidas não-alcóolicas e não-carbonatadas).

Ambev Brasil

Primeiro trimestre de 2013

O EBITDA ajustado no Brasil alcançou R$ 2,5 bilhões, o que representa um incremento orgânico de 1,6% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Na mesma comparação, a receita líquida no país aumentou 0,8%, atingindo R$ 4,95 bilhões nos três primeiros meses de 2013.

A indústria de bebidas do país sofreu queda de volume maior do que o previsto para o início do ano. De janeiro a março, o volume total de vendas da Ambev do país foi de 27 milhões de hectolitros, 6,3% menor se comparado ao 1T12. Essa diminuição no volume de vendas no Brasil é resultado da combinação de alguns fatores, como o clima mais chuvoso, o fato do carnaval ter sido mais cedo no calendário desse ano, a inflação de alimentos e uma desaceleração no crescimento de renda disponível.

O custo de produto vendido no primeiro trimestre de 2013 no Brasil foi 9,4% maior quando comparado com esse mesmo período de 2012. Os principais fatores foram o aumento no preço de matérias-primas, como cevada e embalagens de alumínio, o impacto da desvalorização do Real, além da maior depreciação industrial contra o ano anterior em função dos investimentos realizados.

Apesar da diminuição no volume de vendas da indústria brasileira, o volume de vendas de inovações da Ambev cresceu no primeiro trimestre, liderado pelas latas de 550 ml de Skol e Brahma. O volume de cervejas premiumtambém apresentou aumento, impulsionado pelas marcas Budweiser e Stella Artois. Outro destaque foi o crescimento das vendas de garrafas retornáveis de vidro de 1 litro e de 300 ml. Além disso, a participação de mercado no Norte e no Nordeste continua em uma curva ascendente.


Investimentos 2013

A Ambev segue com a intenção de manter os investimentos essenciais para a implementação da estratégia comercial da Companhia, como, por exemplo, na capacidade necessária para a expansão da garrafa de vidro retornável de 300 ml e ao crescimento de Budweiser no país. A intenção da Companhia continua sendo de investir ao redor de R$ 3 bilhões no Brasil em função das perspectivas de médio e longo prazo para o crescimento orgânico no Brasil.

Dentre as obras já anunciadas da Ambev para 2013, estão as novas fábricas em Minas Gerais e no Paraná, além do aporte de R$ 71 milhões para a construção de uma nova linha de produção de garrafas retornáveis na filial Cebrasa, em Anápolis (Goiás).

Crescimento orgânico e EBITDA ajustado

A Ambev divulga desde o terceiro trimestre de 2007 os resultados orgânicos de suas atividades, que refletem o desempenho da companhia sem considerar os efeitos das oscilações cambiais e de mudanças de escopo. Tais mudanças ocorrem quando a empresa adquire ou vende ativos, inicia ou descontinua atividades.

O termo “ajustado” se refere às medidas de desempenho (EBITDA, EBIT, Lucro Líquido, Lucro Por Ação) antes de itens não-recorrentes, como receitas ou despesas que não ocorrem no curso normal das atividades da empresa e por isso são apresentados separadamente para um maior entendimento do desempenho da Companhia.

Ambev – Resultados 1T13

Comparação com 1T12

Consolidado

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

6,6%

(5,4%)

7,4%

2,3%

(6,8%)

2,4%

Brasil

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

1,6%

(6,3%)

0,8%

1,6%

(6,3%)

0,8%

Brasil - Cerveja

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

0,6%

(8,2%)

(0,3%)

0,6%

(8,2%)

(0,3%)

Brasil – RefrigeNanc

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

8,1%

(0,5%)

6,5%

8,1%

(0,5%)

6,5%

Hila-ex

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

ns

120,3%

ns

(4,4%)

19,9%

27%

América Latina Sul

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

14,6%

(10,2%)

13,3%

10%

(10,2%)

7,9%

Canadá

Reportado

Orgânico

EBITDA ajustado

Volume de vendas ('000 hl)

Receita líquida

(0,5%)

(3%)

10%

(11,4%)

(3%)

(0,6%)

O termo “normalizado”, anteriormente utilizado em nossas divulgações, foi substituído por “ajustado” conforme Instrução CVM n° 527, de 4 de outubro de 2012, que dispõe sobre a divulgação voluntária do EBITDA e do EBIT.

As demonstrações completas do balanço do primeiro trimestre de 2013 da Ambev estão disponíveis no site www.ambev.com.br/investidores

In Press Porter Novelli
Fonte In Press Porter Novelli 30/04/2013 ás 11h

Compartilhe

EBITDA ajustado da Ambev totaliza R$ 3,6 bi no primeiro trimestre de 2013