EACH-USP faz dez anos e planeja expansão

Fonte Agência FAPESP 08/04/2013 às 8h

 

 A Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP), na Zona Leste de São Paulo, comemorou no dia 22 de março dez anos de atividades com uma programação especial.

Na ocasião, foi outorgado o título de professor emérito ao ex-reitor da USP Adolpho José Melfi, inaugurada a Sala Aziz Nacib Ab’Sáber e o Edifício Grupo de Pesquisa I e ainda realizado o lançamento da pedra fundamental para o plano de expansão da escola. Os presentes foram brindados com a apresentação do Quarteto de Cordas da Orquestra Sinfônica da USP (Osusp).

Para o diretor da EACH, professor Jorge Boueri, os dez anos da escola foram dedicados à formação e consolidação do corpo de funcionários e de docentes, à criação e ampliação dos programas de pós-graduação e ao desenvolvimento de trabalhos com a comunidade, que cresce cada dia mais.

“É um trabalho que se traduz não apenas na forma de extensão e cultura, mas também como importantes pesquisas. Muitas dessas pesquisas se revertem para a comunidade e os trabalhos de extensão se tornam pesquisas científicas consolidadas”, disse ao Jornal da USP.

Como exemplo, Boueri citou as atividades realizadas em favor do idoso. Os trabalhos de pesquisa e extensão da EACH deram origem ao Laboratório Centro Dia do Idoso, lançado pelo governo do Estado de São Paulo em maio de 2012, para oferecer à população com mais de 60 anos a oportunidade de conviver em sociedade, circular pela cidade, consumir arte e cultura e ter saúde física e mental. O centro também serve como laboratório didático para os cursos da área de saúde da EACH, Gerontologia e Ciências da Atividade Física.

A sala Aziz Nacib Ab’Sáber fica na biblioteca da EACH abriga acervo de 1.600 obras, entre livros e periódicos, doados pela esposa e filhos do professor, que estavam presentes no evento.

Cléa Ab’Sáber, viúva do professor, contou que Ab’Sáber, no início da carreira, não tinha máquina fotográfica e muito menos filmadora para registro das áreas observadas e por isso fazia tudo em desenho. Nada o impedia de seguir em seu objetivo – o de entender a estrutura geográfica do Brasil. “Ele trocava um lanche por um livro, por isso este acervo tem a importância de uma vida de muita luta e trabalho”, ressaltou.

Outro espaço inaugurado no dia 22, o Edifício Grupo de Pesquisa I, congrega vários laboratórios e grupos de pesquisa, voltados para estudos de políticas públicas, gestão ambiental, turismo, nutrição e atividades físicas, tecnologia da moda e do têxtil, entre outros.

Com relação ao programa de expansão da USP Leste – onde está instalada a EACH –, estão contempladas várias construções no próprio campus e no terreno de 43 mil metros quadrados, cedido pelo governo do Estado de São Paulo, em abril de 2012, situado ao lado do campus.

Segundo o diretor da EACH, Jorge Boueri, o projeto de expansão representa o reconhecimento da importância da universidade pública na zona leste, que abriga cerca de 35% da população total da cidade de São Paulo, segundo dados do Censo 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Estão previstos nesse programa de expansão a construção do Centro de Memória e Cultura e do Centro de Convenções, que foram planejados arquitetonicamente por Ruy Ohtake, e da Casa da Ciência. Enquanto o Centro de Memória e Cultura terá espaço para exposições, mostras temporárias, auditórios, restaurante, biblioteca e uma área dedicada a exibir a cronologia da imigração e migração no Brasil, o Centro de Convenções abrigará um auditório com capacidade para 1.200 pessoas, para apresentações de teatro, música, seminários e congressos.

Já a Casa da Ciência faz parte do programa de divulgação científica que pretende promover a interação entre os estudantes da zona leste com os alunos da USP, por meio do desenvolvimento de atividades e projetos científicos.

Além de três novos edifícios para abrigar os programas de pós-graduação, a ampliação da EACH incluirá um edifício para os laboratórios ligados às áreas de têxtil, moda e multimeios. Também estão previstas a instalação da Escola de Desenvolvimento Social/Escola do Futuro, que visa a divulgar a ciência e ampliar a interação com a comunidade, e do Laboratório Casa da Mulher, que dará assistência à mulher.

A outorga do título de professor emérito a Melfi reconhece sua contribuição não somente para os objetivos da USP, como também para o desenvolvimento científico do país há décadas. Foi o que disse a professora Maria Cristina Motta de Toledo, em nome da Congregação da EACH, ao entregar o título.

Além da liderança científica, Melfi também assumiu atribuições na gestão da Universidade, no Instituto de Geociências, no Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) e na Reitoria da USP, tendo contribuído como diretor de unidade, pró-reitor de Pós-Graduação, vice-reitor e reitor, acrescentou a professora.

Foi como reitor que deu impulso definitivo ao projeto de criação da EACH na região leste da cidade de São Paulo, entre várias outras iniciativas, com destaque para o expressivo aumento do número de vagas na USP. Melfi é, desde 2007, diretor do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina da Fundação Memorial da América Latina.

Mais informações sobre a EACH: www.each.usp.br

Agência FAPESP
Fonte Agência FAPESP 08/04/2013 ás 8h

Compartilhe

EACH-USP faz dez anos e planeja expansão