Durante anúncio com Intel, Raupp destaca atração de investimentos

Fonte Ascom do MCTI 28/02/2013 às 10h
A Intel Brasil, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Educação (MEC) anunciaram nesta quarta-feira (27), em Brasília, incentivos para pesquisa e desenvolvimento de tecnologias da informação e da comunicação (TICs) em áreas de interesse nacional. A ação contempla investimentos diretos da Intel da ordem de R$ 300 milhões em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) e está alinhada ao Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior), do governo federal, que tem como meta o incremento das atividades de TICs no país.

 

“O primeiro aspecto positivo desse anúncio da Intel reside no fato de estarmos atraindo investimentos externos para a realização de atividades de P&D [pesquisa e desenvolvimento] no Brasil”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp. “Isso aumenta a participação do Brasil no cenário mundial da inovação.”

Na ocasião, o titular do MCTI e o presidente da Intel Brasil, Fernando Martins, assinaram termo aditivo ao protocolo de intenções entre a pasta federal e a empresa com o objetivo de incluir as diretrizes para a colaboração em atividades de apoio à pesquisa, ao desenvolvimento e à inovação no escopo do programa TI Maior.

“Eles vão fazer parceria com instituições brasileiras, vão atrair pesquisadores brasileiros para atuar em seus laboratórios e nós vamos criar um programa de apoio e condições para que professores das universidades desenvolvam estágios e pesquisas”, disse o ministro, ao lembrar a orientação da presidenta Dilma Rousseff sobre a importância da parceria pública-privada para o desenvolvimento sustentável do país.

Para alcançar o desenvolvimento almejado, Raupp destacou a necessidade de o país ter estruturas mais ágeis. "São esses mecanismos entre o Estado e os representantes empresariais que estimulam um sistema de operação criativo e fadado ao sucesso", disse. "E no Plano Brasil Maior nós também nos propusemos a atrair empresas internacionais que têm competência em P&D para investir aqui."

Três setores

A empresa pretende financiar pesquisas em universidades brasileiras na área de TICs para os setores de educação, energia e transporte. O foco será no desenvolvimento de soluções de software, tais como ferramentas de visualização e simulação para a extração de petróleo na camada pré-sal, aplicações educacionais, computação de alto desempenho, tecnologias para emplacamento eletrônico de carros e soluções baseadas em tecnologias de ponta com o objetivo de aumentar a eficiência na gestão de trânsito de passageiros e carga, além de soluções de segurança.

Além de ampliar de forma significativa sua atuação na área de software e serviços no país, a empresa irá colaborar com universidades brasileiras para a renovação dos currículos dos cursos de ciência da computação e desenvolvimento de software, bem como para possibilitar o acesso de pesquisadores a laboratórios de computação de alto desempenho.

A expectativa da Intel é mobilizar até 300 pesquisadores, entre colaboradores, pesquisadores de universidades e bolsistas, para os próximos cinco anos, totalizando um investimento de R$ 300 milhões no Brasil. Trata-se do recorde para a empresa no que diz respeito a valores destinados a pesquisa e desenvolvimento no país em seus 25 anos de atuação.

Por sua vez, o governo se compromete a oferecer, por meio de edital, bolsas a estudantes e pesquisadores, dentro de um amplo programa de incentivos a atividades de P&D. Para a chamada, a ser lançada neste ano, estão previstos recursos da ordem de R$ 8 milhões, voltados também a outros empreendimentos alinhados ao TI Maior.

Fomento

“Este acordo marca o início de uma nova fase para Intel Brasil, onde assumimos um papel direto no fomento à inovação para o crescimento sustentável do país”, comentou Fernando Martins, presidente da Intel Brasil. “Nos próximos cinco anos esperamos contribuir muito através da capacitação de profissionais, realização de pesquisa e desenvolvimento em conjunto com universidades brasileiras e empresas nacionais.”

“A Intel se compromete a transferir tecnologia e conhecimento para formar uma nova geração de profissionais e pesquisadores nas áreas relevantes para o país”, acrescentou o presidente da Intel na América Latina, Steve Long. “Esses profissionais serão os inovadores de amanhã, prontos para usar tecnologia e atender as necessidades prementes do país.”

Em seu pronunciamento, o secretário de Política de Informática do MCTI, Virgilio Almeida, reforçou que o anúncio da Intel é o terceiro realizado dentro do TI Maior, já que a Microsoft e a EMC Corporation também anunciaram recentemente investimentos em centros de pesquisa no estado do Rio de Janeiro. “E agora, no caso da Intel, não se trata de um centro físico, mas de várias células de pesquisa entre a empresa e as universidades brasileiras”, explicou.

Ele ressaltou, ainda, a tendência mundial das empresas multinacionais terem assentos de P&D em países emergentes, a exemplo de Brics como a Índia e a China, onde há oferta de pesquisadores qualificados e de mercado. “O Brasil está entrando paulatinamente nesse grande cenário como um dos países receptores desses centros de P&D”, observou. “E é justamente essa onda que a gente quer capturar e atrair para o país, porque isso gera empregos qualificados e tecnologia, e irradia a ligação entre indústria e academia.”

Participaram ainda da solenidade o ministro em exercício do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez, o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Marco Antonio de Oliveira, além de representantes do Ministério da Defesa, empresários do setor e parlamentares.

 

 

Ascom do MCTI
Fonte Ascom do MCTI 28/02/2013 ás 10h

Compartilhe

Durante anúncio com Intel, Raupp destaca atração de investimentos