Dilma envia mensagem ao papa Bento XVI manifestando respeito à decisão de renunciar

Fonte Agência Brasil 28/02/2013 às 9h

Brasília - No último dia de Bento XVI como papa a presidenta Dilma Rousseff enviou hoje (28) mensagem de respeito à decisão de renúncia e destacou a realização da Jornada Mundial da Juventude, em julho, no Rio de Janeiro, assim como a visita que ele fez ao Brasil, em 2007. A nota da presidenta tem oito linhas e foi divulgada no começo desta manhã.

“Ao findar seu papado, manifesto o meu respeito pela decisão de Vossa Santidade de renunciar à Cátedra de São Pedro”, diz a mensagem da presidenta. “Desejo que essa nova fase de recolhimento o encontre com saúde e paz”, completa o texto, que pode ser lido na íntegra no blog do Palácio do Planalto.

Em seguida, Dilma destaca na mensagem boa relação do Brasil com a Santa Sé. “Na oportunidade, recordo os gestos de apreço com que o meu país foi distinguido nesses últimos anos. São marcos históricos no relacionamento entre a Santa Sé e o Brasil.”

Ela ressaltou a escolha de Aparecida do Norte para sediar a 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano (Celam), em 2007, que trouxe Bento XVI ao Brasil. A presidenta também lembrou a canonização de Antonio Galvão de França, o frei Galvão.

“[A visita do papa ao Brasil ensejou] a canonização do primeiro Santo brasileiro, Dom Antonio Galvão de França, assim como a histórica decisão de realizar a Jornada Mundial da Juventude na cidade do Rio de Janeiro”, frisou.

Bento XVI, de 85 anos, deixa hoje a partir das 20h (16h de Brasília) o pontificado, depois de quase oito anos. A partir deste horário começa o chamado o período de sede vacante (sem papa). Ao longo do dia, ele tem uma série de atividades.

Não está programada solenidade pública. Ontem (27), foi a última vez que Bento XVI participou de uma audiência geral, circulou no papamóvel, acenou para os fiéis, beijou crianças e enviou mensagem, justificando a renúncia.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 28/02/2013 ás 9h

Compartilhe

Dilma envia mensagem ao papa Bento XVI manifestando respeito à decisão de renunciar