DF: manifestações mostram indignação com denúncias de corrupção no governo.

Fonte Agência Brasil. 03/12/2009 às 13h


 
Estudantes, professores, sindicalistas, aposentados e simpatizantes se uniram em Brasília em diversas manifestações pelo afastamento do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, do vice Paulo Octávio, ambos do DEM, e de vários deputados distritais. Os protestos são uma reação às denúncias de corrupção envolvendo a cúpula do governo, políticos e empresários da cidade.

As manifestações ocorrem por todo o Distrito Federal. A concentração é na Câmara Legislativa onde estudantes, principalmente da Universidade de Brasília, estão acampados e pretendem ficar até o início da sessão de hoje (3).

Os manifestantes ocuparam as cadeiras e a mesa do plenário, enfeitaram o local com panetones – numa alusão à justificativa do governador que o dinheiro recebido seria para comprar o produto – e espalharam faixas por todos os lados. Um caixão foi colocado no centro do plenário.

A pedido do presidente interino da Câmara Legislativa, Cabo Patrício (PT), os manifestantes prometem suspender o acampamento, no plenário, e manter os protestos do lado de fora do prédio principal da Casa. À noite está marcada uma vigília.

Segundo líderes do movimento, o objetivo é pressionar os parlamentares para que votem favoravelmente ao impeachment de Arruda – há seis pedidos para serem analisados pela Casa. Porém, a Câmara Legislativa reúne 24 deputados distritais, dos quais 16 costumam votar em favor do governo – portanto a tendência é que rejeitem os pedidos de saída de Arruda.

Há protestos programados em diferentes áreas do Distrito Federal. Ao longo desta quinta-feira, há manifestações em Taguatinga, uma das principais cidades do Distrito Federal, a cerca de 20 quilômetros de Brasília.

Também há manifestações marcadas no Cruzeiro, distante 6 quilômetros da capital, e no centro de Brasília – na Avenida W3 Sul, uma das mais importantes. Há, ainda, panfletagem organizada na Rodoviária de Brasília.

A cúpula do governo do Distrito Federal é acusada de comandar um esquema de corrupção, que envolve pagamento de propina, desvio de verba pública e irregularidades em licitações. O escândalo foi descoberto pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.

O DEM, partido de Arruda, deu prazo até a próxima quinta-feira (10) para que ele preste esclarecimentos. No entanto, a tendência, segundo integrantes da legenda, é expulsá-lo. Paralelamente, entidades civis ingressaram com pedidos de impeachment do governador – na tentativa de afastá-lo de forma definitiva do governo.

 

Agência Brasil.
Fonte Agência Brasil. 03/12/2009 ás 13h

Compartilhe

DF: manifestações mostram indignação com denúncias de corrupção no governo.