Desenvolvimento sustentável tem agenda

Fonte Ascom - MMA 19/05/2012 às 13h

O relatório do Painel de Alto Nível das Nações Unidas sobre Sustentabilidade Global concluído em janeiro e lançado na manhã desta sexta-feira (18/05), no Rio de Janeiro, em língua portuguesa "é uma nova agenda para o multilateralismo em torno do tema". A análise é da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ela ntegrou o grupo que, durante dois anos, elaborou o documento.

Além de fazer um diagnóstico completo sobre a questão, apoiado até por contribuições de cientistas ganhadores do Prêmio Nobel, o relatório faz 56 recomendações à Organização das Nações Unidas (ONU) e reflete o consenso alcançado até agora. Embora não seja uma posição de nenhum governo, o documento deve influenciar as decisões que serão tomadas na Conferência da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável,que acontece na capital fluminense entre os dias 13 e 22 junho.

CORAGEM

O texto reforça o relatório da Comissão Brundtland "O mundo que queremos", que serviu de base para os debates da Rio-92, evento promovido pela ONU há 20 anos, que igualmente tratou detemas relativos ao meio ambiente e avança em propostas de curto, médio elongo prazos para se alcançar o desenvolvimento com sustentabilidade.

Com o nome oficial de Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, foi criada pelas Nações Unidas e acabou adotando nome de sua primeira presidente, Gro Brundtland. Foi a primeira vez que se discutiu amplamente o tema desenvolvimento sustentável, integrando a questão ambiental no crescimento económico.

Quatro pontos das recomendações no documento agora divulgado foram destacados pela ministra Izabella Teixeira. Segundo ela, é estratégico pensar a produção e consumo sustentáveis, a oferta de energia limpa e renovável para todos, a segurança alimentar e a oferta de água em quantidade e qualidade para todas as populações do planeta.

O documento propõe, ainda, o fortalecimento do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e pede mudanças na forma como as nações avaliam o crescimento econômico, incluindo o item sustentabilidade no Produto Interno Bruto (PIB). Para a ministra, é preciso discutir de forma concreta os custos que o mundo terá para implementar as mudanças e o custo que significa não fazê-las.

O relatório, que leva o título de "Povos resilientes, planeta resiliente - Um futuro digno de escolha" está disponível no formato PDF neste endereço eletrônico www.un.org/publications. Há também a opção de fazer pedido para ediçao impressa, em encadernação com 154 páginas, pelo site. www.onu.org.br/conheca-a-onu/fale-conosco. "É um assunto para interessar a todos, de fácil acesso, para ser lido no metrô, no taxi, no ônibus", recomenda Izabella. A edição será lançada em várias línguas nos países membros da organização.

Ascom - MMA
Fonte Ascom - MMA 19/05/2012 ás 13h

Compartilhe

Desenvolvimento sustentável tem agenda