Democracia e planejamento marcarão a construção do Campus Zona Leste, afirma reitora da Unifesp

Fonte Unifesp 14/04/2013 às 21h
Membros do governo, de movimentos sociais e da universidade participarão de audiências públicas sobre o tema a partir de 26 de abril
A construção do Campus Zona Leste será feita com base no diálogo democrático com as partes envolvidas, e com planejamento consistente, afirma Soraya Smaili, reitora da Universidade Federal de São Paulo. Com base nessa perspectiva, serão convocadas audiências públicas com a participação de todos os atores envolvidos no processo, incluindo representantes das diferentes instâncias governamentais (federal, estadual e municipal), dos movimentos sociais que atuam na região e da universidade.

A primeira audiência ocorrerá no dia 26 de abril, às 19h30, no Salão da Igreja São Francisco – Rua Miguel Rachid, 997, Ermelino Matarazzo, São Paulo. “Nossa gestão busca o diálogo interno e externo, a fim de crescer de maneira ordenada e realizando prestação de contas sobre todas as nossas ações. Todos os passos desse processo também serão discutidos e decididos nas instâncias institucionais de nossa universidade, em especial, o Conselho Universitário”, diz a reitora.

Cessão do terreno do novo Campus

No dia 02 de abril a Câmara Municipal de São Paulo aprovou a concessão de uso pela Unifesp, por um prazo de 90 anos, de uma área de 163 mil metros quadrados, situada na avenida Jacu-Pêssego, em Itaquera. A medida deverá ainda ser sancionada pelo prefeito Fernando Haddad.

A universidade tem o prazo de um ano, a partir da assinatura do contrato pelo prefeito de São Paulo, para apresentar projetos de edificações a serem executados, que serão avaliados pelos órgãos técnicos municipais competentes. Também fica obrigada a concluir as obras em três anos, contados a partir da aprovação dos projetos.
Unifesp
Fonte Unifesp 14/04/2013 ás 21h

Compartilhe

Democracia e planejamento marcarão a construção do Campus Zona Leste, afirma reitora da Unifesp